quarta-feira, 30 de maio de 2018

DIOCESE DE BAFATÁ: JORNADA DAS ESCOLAS CATÓLICAS




Nos dias 28 e 29 de maio, segunda e terça-feira, teve lugar no novo salão da cúria diocesana de Bafatá, dedicado a “Dom Settimio Arturo Ferrazzetta”, a Jornada das Escolas Católicas da Diocese de Bafatá: aquelas privadas e aquelas em que a Diocese participa na sua gestão, as de autogestão. Em companhia de Dom Pedro Zilli, do Vigário Geral Pe. Domingos da Fonseca e do Diretor da Cáritas Diocesana, Pe. Lúcio Brentegani, os cerca de 40 participantes - supervisores, diretores, membros do Departamento de Educação e Ensino -, viveram dois dias de intensas atividades, fundadas na celebração da Eucaristia e na oração.
Logo no inicio da Jornada, Pe. Lucio fez a apresentação do Departamento de Educação e Ensino (DEE): coordenador, Sr. Edilson Correia Landin (Edi); conselheiros:  Irma Ana Lúcia dos Santos da Congregação Santa Terezinha, Irmã Maria Salomé Pinto da Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição, Roberta de Oliveira Barbosa da Comunidade Católica Nova Aliança e o Sr. Mario Nacanlé de Catió.  
A seguir, Dom Pedro tomou a palavra para a abertura da Jornada. Realçou que “o DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E ENSINO, que passou a ocupar o lugar da Comissão Diocesana de Educação e Ensino, está no Organograma da Caritas Diocesana de Bafatá juntamente com os Departamentos de Saúde/Nutrição, Agricultura, Microfsinanças e Nhabijão”. Acrescentou que, “juntamente com os demais Departamentos, o DEE é chamado a dar o seu contributo para a paz, a reconciliação e o ‘desenvolvimento solidário’ no território da Diocese de Bafatá. Disse “muito obrigado ao Pe. Lucio e ao pessoal do DEE. Obrigado a todos os participantes desta Jornada que estamos a iniciar”. Desejou “bom trabalho a todos”.

Pe. Domingos da Fonseca apresentou o tema dos “valores pedagógicos e educativos que sustentam as Escolas Católicas”. Num momento de estudo muito aprofundado sobre a Educação vista pela Igreja Católica, Pe. Domingos sublinhou que os pais “estão a perder o controlo de seus filhos e vão à procura de escolas que saibam colaborar com eles na educação destes seus filhos”. Realçou que nossas Escolas devem “transmitir valores humanos, morais, espirituais, afetivos, sentido de auto estima, respeito pelo outro, sentido do dever, solidariedade, bem comum…”.
Durante a Jornada, houve trabalhos de grupos, debates, concerto musical, exposição de trabalhos de alunos. Tudo isto fez com que as atividades decorressem de modo tranquilo e profundo.
Ponto fundamental dos dois dias, foi a apresentação, por parte do Sr. Edi, do “relatório de visitas do DEE” às nossas Escolas, em todo o território da Diocese. Tal relatório revelou que, embora se deva melhorar, o trabalho está a ser positivo. 
Outro ponto importante da Jornada foi a “elaboração do calendário escolar e de visitas às escolas do ano letivo 2018-2019”.


Na terça-feira, ao meio dia, fez-se encerramento da Jornada com umas palavras de Dom Pedro. Agradeceu a presença e o empenho de todos; agradeceu a Caritas que, através do DEE, realizou a Jornada. Ele pediu aos presentes: “façamos tudo por amor a Deus e aos irmãos. Pensemos nos irmãozinhos que sonham com a possibilidade de uma escola”. Encorajou a todos com as palavras de São Paulo aos Gálatas 6,9: “não esmoreçamos na prática do bem, pois no devido tempo, colheremos o fruto, se não desanimarmos”. Citou a linda frase do Dom Hélder Câmara: “É graça divina começar bem. Graça maior é persistir na caminhada certa. Mas a graça das graças é não desistir nunca”.


A Jornada foi encerrada, com os agradecimentos do Pe. Lucio, um lindo momento de oração, a bênção de Dom Pedro Zilli e almoço.


BOLAMA: A GRAÇA DOS SACRAMENTOS DA INICIAÇÃO CRISTÃ





Nos dias 26 de 27 de maio, sábado e domingo, Dom Pedro Zilli esteve em Bolama para ministrar os Sacramentos da Iniciação Cristã: Batismo, Eucaristia e Crisma. Na missa de domingo, Solenidade da Santíssima Trindade, dez membros da comunidade paroquial de São José, receberam o Sacramento da Confirmação e destes dez, uma senhora foi batizada e fez a Primeira Comunhão.

Na homilia, refletindo sobre o Mistério da Santíssima Trindade, Dom Pedro recordou momentos em que invocamos a Deus Pai, Deus Filho, Deus Espirito Santo: no Sinal da Cruz, no Gloria ao Pai…, no Batismo, na Confissão, na Consagração do Pão e do Vinho,…! Realçou que, infelizmente, “a rotina e outras distrações levam-nos a uma vivência da fé sem a alegria e o entusiasmo requeridos”.
Sublinhou a alegria e a responsabilidade trazidas pelas palavras de Jesus no Evangelho proclamado na Missa: “Ide e fazei com que todos os povos da terra se tornem discípulos, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo quanto vos tenho ordenado. E assim, Eu estarei convosco todos os dia, até o fim dos tempos”(Mt. 28,19-20). Disse que, nos momentos mais difíceis de sua vida de cristão de de bispo, sente-se muito confortado pelas palavras de Jesus: “Eu estarei convosco todos os dia, até o fim dos tempos”.


No final da celebração, muito bem animada pelo coral da paróquia, o Pároco, Pe. Abraão A. Sambu, agradeceu o bispo por ter vindo a Bolama, “não se importando com o sacrifício das estradas e da da travessia do braço de mar…”. O mesmo ele disse em relação aos padrinhos e madrinhas que vieram de Tite e de Bissau. Agradeceu as “irmãs Dorilene e Francisca pelo acompanhamento aos crismados na catequese”.


Antes da bênção final, no quadro da “Ação Evangelizadora: Cada Comunidade uma Nova Vocação”, Dom Pedro convidou os crismados e toda a comunidade a rezarem três Aves Marias pelas vocações. Pediu que todos se juntassem ao Papa Francisco que, no dia 30 de abril, convidou os fiéis a se unirem espiritualmente na terça-feira, 1º de maio, à oração do Terço pela paz na Síria e em todo o mundo e encorajou a prolongar a oração mariana durante todo o mês de maio por esta intenção.





PEREGRINAÇÃO MARIANA EM GEBA



Sob o lema da MENSAGEM DO SANTO PADRE, PAPA FRANCISCO PARA A 33ª JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE, 2018: «Maria, não temas, pois achaste graça diante de Deus» (Lc 1, 30), nos dias 25 e 26 de maio, sexta-feira e sábado, o Setor Pastoral Leste da Diocese de Bafatá realizou mais uma peregrinação a Geba, distante 20 kms de Bafatá. A peregrinação que contou com todas as paróquias e missões do Setor - Nossa Senhora da Graça e São Daniel Comboni de Bafatá, Bambadinca, Contuboel, Gabu e Geba - atraiu um bom número de jovens e adolescentes, mas também de alguns adultos.


A peregrinação teve seu inicio às 18 horas, na Sé Catedral com a Adoração Eucarística, na presença de Dom Pedro Zilli, que dirigiu algumas palavras aos peregrinos, pedindo-lhes que tudo fosse vivido como um “momento de fé e amor a Maria”. Agradeceu a todos “pelo espírito de sacrifício que não mede esforços para louvar o Senhor”. Por volta das 20,30 horas, apos receberem a bênção do bispo, acompanhados pelo Diácono Luís Paulo e pela Irmã Estela, os peregrinos, cerca de 200 jovens e alguns adultos, iniciaram a caminhada que durou toda a noite, de sexta para sábado, animada pela recitação do rosário, cânticos marianos e meditações, com 3 paradas: Cruzamento de Gambasse; Gambasse, Leiria.
Os peregrinos chegaram em Geba por volta das 05 horas da manhã, sendo que as famílias cristãs e outros começaram a chegar a partir das 07 horas. A procissão com a imagem de Nossa Senhora teve inicio às 09,30 horas, seguida da celebração da Santa Missa, com 04 sacerdotes: Padres Alberto Gomes, Lúcio Brentegani, Giuseppe Pizzoli e Jorge Soares e o Diácono Luís Paulo.



Pe. Alberto Gomes, Delegado do bispo no Setor Pastoral Leste, presidiu a celebração da santa missa, animada pelo coral dos jovens do Setor Pastoral Leste. Durante a homilia, ele centrou sua reflexão nos seguintes 03 pontos: presença da Virgem Maria nas “bodas de Caná” (Jo. 2,1-12); a Virgem Maria aos pés da cruz (Jo. 19,25-27); as intercessões de Maria em favor dos homens nas aparições em Lourdes e Fátima.


Após palavras de agradecimentos ao Senhor e a todos os que se empenharam pelo bom êxito da peregrinação, os peregrinos receberam a bênção, sob a intercessão de Nossa Senhora.

A peregrinação a Geba costuma ser realizada no quadro do 13 de maio, em Fátima, mas neste ano, devido a 7ª Jornada da Juventude Católica Guineense, em Bambadinca, nos dias 11 a 13, foi adiada para os dias 25 e 26.


sexta-feira, 25 de maio de 2018

FESTA DO PADROEIRO NO LICEU PE. LEOPOLDO PASTORI DE BAFATÁ






 No 22° aniversário da morte do Pe. Leopoldo Pastori, PIME, nos dias 23 e 24 de Maio, quarta e quinta-feira, realizou-se mais uma festa com os alunos do “Liceu Pe.Leopoldo Pastori”, da Diocese de Bafatá.  
Na manhã de quarta, Pe. Fabio Motta, Superior Regional do PIME- Guiné-Bissau, refletiu com os estudantes sobre “o papel da juventude na sociedade guineense segundo o pensamento do Pe. Leopoldo Pastori”.

Pe. Fabio iniciou dizendo aos estudantes: “a minha esperança é que possam viver esta festa (do Liceu), as diferentes atividades no estilo do Pe. Leopoldo (oração, palestra, música, teatro, desporto…) com alegria, com simplicidade de coração, como oportunidade para incentivar a vossa amizade”. Falou da vida do Pe. Leopoldo, nascido em Lodi, Itália – 09 de fevereiro de 1939-26 de maio de 1996. Disse que o menino Leopoldo, depois da morte do pai Annibale, em agosto de 1944, juntamente com a irmã Maria Luisa, entrou no orfanato em 1946, tendo ali permanecido 12 anos. Sublinhou que “Leopoldo amadureceu muito durante a experiência de orfanato. Ficou muito grato aos formadores e diretores do orfanato. Aprendeu muito durantes estes anos. Descobriu o seu talento na música, no teatro e no desporto”. Foi muito marcado pela mãe, “uma mulher de grande fé e trabalhadora”.

Pe. Fabio citou algumas frases do Leopoldo escritas nesta época: “Olha para o bem em ti e à volta de ti”; “agradece sempre a Deus”; “sejas cada dia melhor”; “Todos nos temos uma missão especial: parecer com o rosto de Jesus” (grande devoção à Eucaristia).
Com 18 anos entrou no seminário do PIME. Na raiz de sua escolha estão os diferentes encontros com missionários vindos dos países de missão. Ordenado sacerdote aos 30 anos, esteve 05 anos na formação dos seminaristas do PIME em Sotto il Monte, tendo vindo à Guiné-Bissau em 1974 e aqui permaneceu ate 1978, quando voltou à Itália por motivos de saúde (hepatite).  O seu estilo de missão em Bafatá: valorizar os dons que recebeu de Deus para o bem dos outros e da evangelização. Ficou na Itália até 1990, no Seminário do PIME, com o desafio de como acompanhar os jovens na vida espiritual.
De 1990 a 1996 viveu na Guiné-Bissau, no Centro de Espiritualidade de N’dame, perguntando-se: “agora doente, como posso ser missionário?”  a resposta: através da oração que é trabalho. Um novo estilo: “missionário monge”. 


Terminada a apresentação, Pe. Fabio fez uma pergunta a ser respondida em grupo, pelos estudantes: “como jovem, o que posso aprender com o Pe. Leopoldo?” As respostas foram: procurar descobrir os próprios talentos; procurar ser sempre melhor; praticar desporto, teatro, música; viver na oração: nos momentos de sofrimento (doença por exº); agradecer a Deus por tudo o que somos; prestar serviço ao Senhor; coragem no enfrentar as dificuldades permitidas por Deus e vencê-las com a ajuda Dele na oração; ser responsável no cumprimento da própria missão; amor ao irmão; valorizar as pessoas por aquilo que elas são; solidariedade para com a humanidade, especialmente, os mais pobres e carenciados; humildade no preocupar-se pelo bem do companheiro. Depois da apresentação dos alunos, Pe. Fabio e Dom Pedro sublinharam alguns aspetos propostos pelos alunos.
À tarde houve um encontro com 4 antigos alunos, “frutos do Liceu P. Leopoldo Pastori”, que hoje são profissionais em diferentes áreas: Jenabu Balde, Dundu Sambu, António Pereira e Livid B. Vaz.
Às 8,30 horas da quinta-feira, dia 24, Dom Pedro presidiu à celebração da Santa Missa, concelebrada pelo Pe. Lucio Brentegani, Diretor do Liceu, e Pe. Giuseppe Pizzoli. Dom Pedro convidou os alunos a rezarem pela África, que tem no dia 25 de maio, o seu Dia, porque foi neste dia, em 1963, que se criou a Organização de Unidade Africana (OUA), na Etiópia, com o objetivo de defender e emancipar o continente africano; pelos missionários falecidos que, a exemplo do Pe. Leopoldo, deram bom testemunho de amor aos irmãos da Guiné-Bissau; pelos pais e encarregados da educação; pela Direção e professores do Liceu; pelos alunos. Na homilia, Dom Pedro mostrou aos alunos um exemplar da Exortação Apostólica Gaudete e Exsultate do Papa Francisco “sobre a chamada à Santidade no mundo atual”. Meditou com eles o numero 07: “santidade no povo paciente de Deus:…”.
Apos à Santa Missa, e à tarde, foram realizadas diferentes atividades académicas, através de concursos: cultura geral, poesia, língua portuguesa, tradução do kriol para o português, matemática, francês, inglês, leitura e dança “afro-house”. Segundo o professor Mailson, “os alunos participaram, com alegria e entusiasmo das atividades, revelando bom conhecimento geral e boa preparação nas diversas áreas, tendo merecido os prémios que lhes foram entregues”. A seguir, os músicos da “nova geração” apresentaram várias músicas, entre as quais, o lema episcopal do Dom Settimio Arturo Ferrazzetta: “a verdade vos libertará”.

O Liceu Pe. Leopoldo Pastori, no ano letivo 2017-2018, conta com 364 alunos da sétima à décima segunda classe: 178 masculinos e 186 femininos. Pe. Leopoldo, Missionário do PIME, “o Missionário-Monge” como era chamado, nasceu em Lodi (Itália) no dia 09 de fevereiro de 1939, chegou pela primeira na Guiné-Bissau em 1974, fez missão em Bafatá, Centro de Espiritualidade de Ndame,…! Faleceu no dia 26 maio de 1996. Em 2012, os bispos da Guiné-Bissau e o Superior Regional do PIME escreveram ao Bispo de Lodi, pedindo-lhe que iniciasse a sua causa de beatificação. 


quinta-feira, 24 de maio de 2018

BAFATÁ: CRISMAS NA SOLENIDADE DE PENTECOSTES



 A comunidade paroquial Nossa Senhora da Graça, Sede da Diocese de Bafatá, viveu mais um momento de fé na seu caminhar cristão: na Solenidade de Pentecostes, domingo, dia 20 de maio, 19 jovens receberam o Sacramento da Confirmação.

Na homilia, Dom Pedro Zilli manifestou sua alegria pelo número de guineenses que “querem receber os Sacramentos…e querem viver na verdade, a fé em Cristo”. Falou da beleza que a Igreja da Guiné-Bissau está a viver “com bispos, sacerdotes, consagrados, famílias, catequistas…”. Dom Pedro convidou os crismados, padrinhos e toda a comunidade a “se abrirem aos dons do Espírito Santo e a serem missionários, anunciando, com alegria, a beleza da vida cristã”.


Após à comunhão, um jovem, em nome dos colegas crismados, fez vários agradecimentos: “a Deus que nos deu a graça de receber o Sacramento da Crisma, neste dia da Solenidade de Pentecostes; ao nosso Bispo Dom Pedro, pela sua grande atenção ao povo que Deus lhe confiou; ao nosso pároco, Pe. Alberto Gomes, por todo o esforço que ele faz para animar a paróquia e pela nossa formação; às nossas irmãs e ao Conselho Paroquial; ao nosso catequista Sansau por todo o esforço empreendido pela nossa formação; aos catequistas da paróquia que contribuíram na nossa formação; aos paroquianos que sempre nos acompanham com seus conselhos e suas orações; a todos aqueles que não chamamos seus nomes por falta de tempo”.



No final da celebração, no quadro da “Ação Evangelizadora: Cada Comunidade uma Nova Vocação”, Dom Pedro convidou os crismados a se aproximarem de Nossa Senhora para rezar “três Aves Marias pelas vocações”.



quarta-feira, 23 de maio de 2018

CATIÓ, 25 ANOS DO CENTRO EDUCACIONAL SÃO BENTO




Em companhia da Irmã Maria Aparecida Silveira, brasileira, das Apostolas do Sagrado Coração, missionária em Contuboel, e atualmente colaborando na cúria diocesana de Bafatá, de 16 a 19 de maio, quarta-feira a sábado, Dom Pedro Zilli esteve visitando Catió.
O motivo principal da visita fundava-se na vivência de 04 momentos de alegria e de louvor ao Senhor: 1. os 25 anos da Fundação do Centro Educacional São Bento que abriu suas portas no dia 15 de outubro de 1993; 2. a inauguração do pavilhão com três salas de aulas e da quadra desportiva “Irmã Angélica”; 3. ação de Graças pela venerabilidade das fundadoras da Congregação das Beneditinas da Divina Providência, Maria e Giustina Schiapparoli; 4. agradecimentos.  

Relativamente aos 25 anos do Centro Educacional São Bento, no discurso preparado para a ocasião, Dom Pedro parabenizou a Instituição pelo número de alunos deste ano letivo 2017-2018: 310, dos quais 167 masculinos e 143 femininos. Recordou que, conforme publicado no Anuário das Dioceses de Bissau e Bafatá, para este ano 2018, “as Dioceses de Bissau e Bafatá possuem 33 Jardins Infantis, 59 Escolas EBU, 14 Liceus e 4 Escolas profissionais-Universidades, num total de: 24.757 alunos”. A partir desta estatística, ele realçou o seguinte: “os dados da Escola São Bento e os das duas dioceses revelam o empenho da Igreja Católica no âmbito da Educação. Uma educação que quer ser sempre da melhor qualidade, esperando que mais famílias priorizem a escola para seus filhos”. 

Referindo-se à inauguração do pavilhão, com três salas de aulas “doadas pela família Baletreri em recordação do seu querido Doutor Giovanni Baletreri” e da quadra desportiva “Irmã Angélica”, fruto do esforço da Congregação das Beneditinas da Divina Providência, Dom Pedro enfatizou: “o gesto da família Balestreri e dos benfeitores da Congregação das Irmãs Beneditinas, revela que a Providência Divina continua agindo no mundo e transformando corações. Isto nos recorda Madre Giustina que ‘confiava-se constantemente à Divina Providência’”. A respeito da venerabilidade das fundadoras da Congregação das Beneditinas da Divina Providência, Maria e Giustina Schiapparoli, Dom Pedro disse: “que coisa maravilhosa, meus irmãos: duas irmãs de sangue, duas consagradas, duas santas. Pensando nisso, vieram-me à mente, as palavras do Papa Francisco na Exortação Apostólica Gaudete et Exsultate,12. “…quero assinalar que também o ‘génio feminino’ se manifesta em estilos femininos de santidade, indispensáveis para refletir a santidade de Deus neste mundo”.

Dom Pedro fez vários agradecimentos: “ao Senhor pelo Centro Educacional São Bento e por todas as nossas escolas; as Beneditinas da Divina Providencia, em Catió, desde 1984”; Recordou a oração feita na missa “pelas Irmãs da Divina Providência para que, fiéis ao carisma herdado das Servas de Deus, Maria e Giustina, possam torná-lo conhecido e amado como verdadeiro dom recebido do Pai Providente”. Fez menção especial às Beneditinas que estão em Catió neste momento: as Irmãs Margareth Nanjala, Odiliah Imbulah Sengo e Alice Namenge Kannuty. 

Agradeceu ao Senhor pelos Missionários do PIME em Catió, especialmente, os atuais: o Pároco, Pe. Giovani Phe Thu e o Vigário Paroquial, Pe. Maurizio Fioravanti. Enfatizou que “os missionários do PIME, em todos estes 25 anos da Escola São Bento, têm sido uma presença discreta, pontual e de efetiva colaboração”. agradeceu “ao Senhor pela Paróquia Santa Lucia de Augusta, Sicilia, geminada com a Paróquia Nossa Senhora da Graça de Bafatá, desde 2002, por ter chegado até Catió, através da Família Balestreri. Agradeceu ao Senhor pela família Balestreri”. Agradeceu o “Senhor pela boa colaboração entre a Escola e as autoridades locais”. Agradeceu ao “Senhor pelos professores e pessoal da Escola; pela comunidade paroquial, pelos pais e encarregados da Educação, e sobretudo, pelos alunos”. Não faltaram momentos de divertimento e de premiações.


Na sexta-feira de manhã, com P. Phe Thu, visitou as tabancas da Gantone e Mato Farroba; na noite de sexta-feira e na manhã de sábado, presidiu às celebrações da Santa Missa na Igreja paroquial. Depois do café seguiu para Quebo e Bafatá.




domingo, 20 de maio de 2018

BAMBADINCA ACOLHEU A 7ª JORNADA DA JUVENTUDE CATOLICA GUINEENSE




Em Bambadinca, Diocese de Bafatá, nos dias nos dias 11 a 13 de maio, sexta-feira a domingo, mais de 2500 jovens, das dioceses de Bissau e Bafatá, viveram a alegria da 7ª Jornada da Juventude Católica Guineense.
Para momentos de oração, louvar o Senhor, escutar a Palavra de Deus, encontrar os Bispos, Sacerdotes, Consagrados, Consagrados e encontrarem-se, divertirem, os jovens enfrentaram as dificuldades trazidas pelo calor, falta d’agua, precariedade dos alojamentos, pouco ou quase nada de dinheiro no bolso, alimentação do jeito que dava e outros contratempos. Em tudo, o entusiasmo era superior às dificuldades. Escutaram, com muita alegria, a catequese a partir da MENSAGEM DO SANTO PADRE FRANCISCO PARA A XXXIII JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE: «Maria, não temas, pois achaste graça diante de Deus» (Lc 1, 30).

Na sexta à noite, Dom Pedro Zilli deu boas vindas a todos. Falou das 3 Jornadas Mundiais da Juventude, com temas dedicados a Maria. Lembrou que para a 32ª Jornada Mundial da Juventude em 2017 o tema foi: “O Todo-poderoso realizou grandes coisas em meu favor”. Para a 33ª Jornada, deste ano 2018, o tema escolhido pelo Santo Padre é: “Não temas, Maria, porque encontraste graça junto de Deus”. Entretanto a 34ª Jornada Mundial da Juventude que se realizará no Panamá, em 2019, terá como tema: “Eis a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra”.
Dom Pedro agradeceu o esforço dos jovens e suas paróquias por terem chegado em Bambadinca; Agradeceu as Comissões Diocesanas das Juventude por todo o empenho que, nas palavras do Frei Galiano, coordenador da Comissão da Adolescência e Juventude da diocese de Bissau, “teve inicio em novembro do ano passado”. Agradeceu os padres, irmãs e comunidade de Bambaddinca pelo “confortável acolhimento”.
A seguir, os jovens tiveram um momento de adoração ao Santíssimo Sacramento, animado pelo Diácono Luís Paulo da Costa Monteiro. A adoração, fundada em João 6,35-40 (Jesus, “o pão da vida”), foi vivida num clima de profundo silêncio e oração. Vários jovens receberam o perdão dos seus pecados no Sacramento da Penitencia.

Na manha do sábado, apos a oração da manha, Dom José Lampra Cá, Bispo Auxiliar de Bissau, fez catequese a partir da Mensagem do Papa Francisco com o tema «Maria, não temas, pois achaste graça diante de Deus» (Lc 1, 30)
Da catequese muito rica de Dom Lampra, alguns pontos serão realçados: disse ser providencial um Sínodo sobre os jovens;  perguntou quais são os obstáculos que levam um jovem a não responder positivamente a sua vocação?; falando do “faça-se em mim segundo a tua palavra”, exortou o jovens a tomar Maria como exemplo e intercessora; evidenciou que a opção vocacional exige confiança no Deus Providente; falou da importância do  Sacramento da Confissão; Sublinhou as palavras do Papa Francisco para a 33ª para a JMJ, quando diz: “não tenhais medo de olhar, honestamente, para os vossos medos, reconhecê-los pelo que são e enfrentá-los. A Bíblia não nega o sentimento humano do medo, nem os inúmeros motivos que o podem provocar”.  
A seguir à catequese, após um bom momento de perguntas de aprofundamento para Dom Lampra e Dom Pedro, Dom Lampra presidiu à celebração da Santa Missa.



À tarde, os jovens fizeram a marcha jovem constituída por momentos de oração e de animação. À noite, o conserto animado por vários artistas jovens que ofereceram aos jovens, músicas religiosas, tradicionais e outras. Era bonito ver a alegria e animação da juventude que “de uma maneira alegre e animada, vai crescendo na mentalidade cristã”, sublinhou Dom Pedro.






No domingo de manha, Solenidade da Ascensão do Senhor, dia 13 de maio, Dom Pedro presidiu à Santa Missa de encerramento de Jornada. No inicio, Pe. Domingos da Fonseca, Vigário Geral da Diocese de Bafatá e Pároco da Paróquia Imaculado Coração de Maria de Bambadinca, dirigiu uma saudação aos jovens, aos bispos, às autoridades administrativas e religiosas e a todos os presentes. Na homilia, Dom Pedro falou da vocação do cristão à gloria eterna do Céu; realçou o temática Mensagem do Papa Francisco para 52ª Jornada Mundial das Comunicações Sociais: “A verdade vos tornará livres” (Jo. 8,32). Fake news e jornalismo de paz” – 13 de maio de 2018; convidou os jovens a viverem, com alegria, do dia 13 de maio, dia de Nossa Senhora de Fátima. Lembrou aos jovens a visita do Papa Francisco a Fátima nos dias 12 e 13 de maio do ano passado para a celebração do Centenário das Aparições e para a canonização dos pastorinhos Francisco e Jacinta. Contou a história de Lucas, o menino brasileiro, que foi agraciado com o milagre dos dois pastorinhos Francisco e Jacinta Marto, fundamento para a canonização de ambos. 

No final da celebração, Dom Lampra, em nome de Dom José Câmnate, Bispo de Bissau, e de toda a Diocese de Bissau, agradeceu a Dom Pedro, Bambadinca e toda a Diocese de Bafatá pelo bom acolhimento reservado a ele e a todos os diocesanos de Bissau.
Pe. Maio da Silva, coordenador da Comissão da Adolescência e Juventude da diocese de Bafatá, fez uma serie de agradecimentos a pessoas e instituições que permitiram o “bom êxito da 7ª Jornada da Juventude Católica Guineense”. Depois do almoço, os bispos abençoaram os jovens e desejaram-lhes “bom regresso às suas paróquias e missões espalhadas por toda a Guiné-Bissau”. Pediram que voltassem com calma para que a viagem corresse a mais tranquila possível”. Os jovens voltaram para suas casas com o rosto irradiando alegria. Alegria que vem de Cristo Jesus.

terça-feira, 15 de maio de 2018

DOM PEDRO VISITA CAFAL, CACINE E QUITAFINE

Cafal

Nos dias 03 a 06 de maio, quinta-feira a domingo, em companhia do jovem casal de Verona, Maria Rosa e Jonathan, filho dos voluntários Cinzia e Gianni, missionários em Cafal de 1985 a 1987, Dom Pedro visitou as missões de Cafal, Cacine e Quitafine, três comunidades sob a responsabilidade dos Missionários Oblatos de Maria Imaculada (OMI), Padres Daniel Aliou Mané e Carlos Andolfi.

Cafal
Na manhã do dia 03, vindos de Bafatá, passaram por São Francisco e Santa Clara e à tarde chegaram em Cafal, tendo sido acolhidos pelo Pe. Daniel, Seni Turé, responsável pelo cuidado da casa, adultos e jovens da pequena comunidade cristã e da população.
Na reunião com os referidos adultos e jovens, Pe. Daniel deu “bem-vindos” a Dom Pedro, e ao casal veronense.  Sublinhou que a “presença do Bispo é um sinal de que ele não se esqueceu de nós. Veio ver com andam as coisas”. Disse que de Cacine, ele e Pe. Carlos garantem presença em Cafal todos os sábados e domingos e até mesmo durante a semana por causa da Escola Dom Settimio Arturo Ferrazzetta que, neste ano 2017-2018, conta com 186 alunos da primeira a sexta-classe.

Pe. Daniel diz reconhecer que não podiam substituir as Irmãs Missionarias da Imaculada que permaneceram em Cafal desde o dia 10 de dezembro de 2009 a 15 de maio de 2016 e que realizavam várias atividades catequéticas e sociais. Realçou que “não estando residentes no local, torna-se mais difícil entrar diretamente na vida da comunidade. Difícil também para a comunidade”, pondera. Disse que não conseguiram continuar a catequese em Catés, Darsalan e Cabedu. Salientou, no entanto, que sua comunidade Oblata procura manter vivo o contato com os adutlos e com os jovens: “não somos residentes, mas estando em Cafal, pertencemos à comunidade”.
Os presentes ficaram muito felizes pela visita do casal Jonathan e Maria Rosa que recorda todo o empenho de Verona em Cafal. Alguém observou que “vendo os dois, parecia estar vendo os pais do Jonathan e todos os 32 voluntários e os 03 sacerdotes de Verona que estivem em Cafal num arco de 18 anos: janeiro de 1985 – dezembro de 2002. Pediram que eles transmitissem “saudações a todos os que deram anos de suas vidas pelo bem da nossa terra aqui no Sul do País”.
Como em outras ocasiões, os que estavam no encontro, voltaram a pedir a Dom Pedro, o envio de “sacerdotes ou irmãs ou voluntários” para Cafal. Agradeceram a presença dos Oblatos pela presença, ainda que limitada.
Dom Pedro agradeceu a presença de todos, embora diminuída pelo falecimento de um adulto de Cafal de nome Bifa Nanau, cujo sepultamento se deu na tarde de sexta-feira, dia 04. Falou da sua gratidão aos Oblatos pela “preciosa presença em Cacine, mas também em Cafal”, acrescentando que “se não fossem eles, não saberia como continuar uma presença de Igreja naquela localidade”.
Na manhã do dia 04, Dom Pedro presidiu a celebração da Santa Missa e a seguir, com Pe. Daniel, foi levar condolências à família enlutada.
Na tarde de sexta-feira, dia 04, Dom Pedro, Pe. Daniel, Jonathan e Maria Rosa, atravessaram de canoa de Canâmine para Cacine, tendo sido acolhido pelo Pe. Carlos.
Quitafine


Na manhã de sábado, dia 05, os dois sacerdotes, Dom Pedro, Jonathan e Maria Rosa e um grupo da comunidade de Cacine foram para Quitafine, Setor de Cacine. Em Quitafine, Dom Pedro presidiu à celebração da Eucaristia do Sexto Domingo de Pascoa Ano B na capela dedicada a São José e abençoou a Escola, também ela, dedicada a São José que funciona com um total de 135 alunos do Jardim Infantil, Pré-escolar e Primeira Classe. Pe. Daniel, Pe. Carlos e todos os presentes na celebração da Santa Missa, manifestaram a alegria de receber, pela primeira vez, o Bispo em Quitafine. A maioria das pessoas não o conhecia. Pe. Daniel recordou que na missa “sempre se reza pelo Papa e pelo Bispo e que hoje podiam rezar com ele”. Dom Pedro não escondeu sua alegria por conhecer Quitafine que, com a “presença dos padres Oblatos vai se tornando uma bonita comunidade”. Agradeceu os padres e a comunidade “pela nova capela e pela nova escola”.

Quitafine
No final da celebração, o enfermeiro Albino Badjan disse as seguintes palavras em nome da comunidade:
“A comunidade de Quitafine esta muito contente, está de parabéns, porque recebeu a visita do Bispo da Diocese de Bafatá, Dom Pedro Zilli.
Por isso, antes de tudo, a comunidade lhe dá o ‘bem-vindo’ juntamente com sua comitiva, nossos padres incansáveis: Pe. Daniel e Pe. Carlos que acompanham, no dia a dia, esta comunidade que está na sua fase inicial. Pensamos que, com eles, a comunidade vai crescer espiritualmente, com eles terá vocacionados, com eles, terá casados no nome de Cristo Senhor; terá grupo coral. Para finalizar, desejamos-vos bom regresso (a Cacine); Que Cristo vos acompanhe. Rezai por esta comunidade, porque ela precisa de vós. Obrigado pela presença de todos”.


Quitafine



Depois da Santa Missa, Dom Pedro abençoou a escola na presença dos alunos, suas famílias e várias autoridades tradicionais, religiosas e administrativas, com quem teve um momento de encontro a seguir ao almoço oferecido pela comunidade.








Cacine
No domingo, dia 06, 6º domingo de Pascoa, Dom Pedro presidiu à celebração eucarística em Cacine. No inicio, Pe. Carlos agradeceu-o pela presença que animava a comunidade. Realçou que “sempre Dom Pedro pergunta como vai a comunidade, quais as maiores dificuldades e as maiores alegrias”. Disse que a comunidade de Cacine “não cresceu muito em número, mas que está a fazer um bom aprofundamento na fé e que o Ano Bíblico tem sido uma boa ocasião para o crescimento no amor à Palavra de Deus”.  Dom Pedro disse ter ficado “profundamente agradecido a Deus pelo acolhimento em Cafal, Quitafine e Cacine; profundamente agradecido a Deus pelo caminho das comunidades sob a orientação dos Oblatos”.  

domingo, 13 de maio de 2018

PARÓQUIA SANTA ISABEL DE GABU PEREGRINAÇÃO A BOFFA – GUINEE CONACRY


Tema: “Sejamos testemunhas de Jesus Cristo em ato e em verdade”



Sob a proteção de Santa Isabel, de 03 a 06 de maio, quinta-feira a domingo, a Paróquia Santa Isabel de Gabu participou, em Boffa, Diocese de Conacry, da Peregrinação Nacional da Igreja da Guiné-Conacry que compreende 03 dioceses e que teve o seguinte tema: “Sejamos testemunhas de Jesus Cristo em ato e em verdade”. Às 05hs30 do dia 03 de maio, sob a orientação do Pároco Pe. Daniel Thiara Boubane, 14 pessoas da Paróquia saíram de Gabu rumo à Gruta Mariana de Boffa. Viajaram o dia inteiro num clima descontraído, estreitando os laços de amizade, todos ansiosos por chegarem ao destino. Passaram por tabancas, vales, montanhas, cidades e, enfim, chegaram à meia noite à Boffa. 

Depois de um banho para tirar a poeira e recuperar as forças, os guineenses receberam alojamento e alimentação. Foram acolhidos com muita delicadeza, o que só têm a agradecer. Ficaram alojados numa grande barraca, bem próxima ao Santuário, o que facilitou a participação e a oração junto ao povo. Destacaram que todos os dias nos momentos das refeições, eram convidados a sentar junto aos Bispos, como convidados especiais da Guiné-Bissau. Tanta gente estava ali, durante todos os dias, servindo com alegria e sempre com um sorriso no rosto!

A manifestação de fé teve início com a marcha dos peregrinos em direção à Boffa às 16 horas do domingo, dia 29 de abril, conduzida pelo Exmo. Dom Vincent Coulibaly, arcebispo de Conakry. A marcha percorreu 122km desde Kagbélen até a Gruta Mariana, tendo aí chegado na quinta-feira, dia 03 de maio, quando então, foi vivida uma extensa e bem participativa programação: Adoração ao Santíssimo Sacramento durante todo o dia, Missas, Procissão Mariana, Via-Sacra, Confissões, Novena em honra à São Miguel Arcanjo e noite Cultural com as Paróquias. Pontos fundamentais foram as catequeses com os fiéis, com os temas: “O tema central do ensinamento de Cristo” – por Dom Emmanuel Felemou; “Somos testemunhas de Jesus Cristo em atos e em verdade” – por Padre Apollinaire Cécé Kolie.
A peregrinação encerrou no domingo, dia 06 de maio, com Missa festiva e muita alegria nos corações revigorados na fé e no entusiasmo que nasce no coração de discípulos amados de Jesus Cristo.

Pe. Daniel ressaltou o seguinte: “fizemos nossa peregrinação interior junto a tantos peregrinos que chegavam e ajoelhavam, louvavam, rezavam, adoravam, cantavam, e ascendiam suas velas aos pés da Virgem Maria, Notre Dame da Guiné-Conacry. Incontável o número de fiéis que chegavam todos os dias. Admirável a confiança na proteção de São José. No decorrer dos dias, houve muita oração, convivência, experiências inesquecíveis de vida”.
 “Nós da Paróquia Santa Isabel de Gabu retornamos na segunda-feira, dia 07 de maio, depois da despedida em clima orante dirigido pelo Pe. Daniel. Voltamos felizes e com o coração agradecido por tantas graças e bênçãos recebidas e muitas histórias para contar da fé que move os peregrinos à Grota Mariana de Boffa”, realçou a Irmã Ângela, das Clarissas Franciscanas Missionárias do Santíssimo Sacramento.