quinta-feira, 1 de agosto de 2019

QUEBO: MISSÃO CATÓLICA SÃO PAULO VI ACOLHE ENCONTRO DE CASAIS E TEM SEUS PRIMEIROS COROINHAS



 A Missão Católica São Paulo VI de Quebo Diocese de Bafatá, viveu nos dias 21 a 23 de junho, sexta-feira a domingo, dois momentos muito lindos: o segundo encontro diocesano de famílias do ano pastoral 2018-2019, com o tema do Projeto Pastoral Diocesano 2018-2021, “a Igreja anuncia o Evangelho com alegria” e a investidura de seus primeiros 16 coroinhas.

No sábado de manhã, Dom Pedro Zilli encontrou-se com o grupo de casais. Falou-lhes dos encontros em que participou no mês de maio: 13 a 19, Ouagadougou, Burkina Faso, 3ª Assembleia CERAO – RECOWA – Conferencia Episcopal Regional da Africa Ocidental, sob o tema “a Nova Evangelização e o desenvolvimento humano integral na Igreja-família de Deus na África Ocidental”, com dois subtemas: 1. “O desenvolvimento humano integral e o serviço social na Igreja-família de Deus na África Ocidental; 2. Juventude, fé e migração: o papel da Igreja-família de Deus na África Ocidental; 20 a 23 de maio, Roma,  9ª Conferencia Regional da Caritas África, com o tema: “África, terra de esperança”;  23 a 28, Roma, 21ª Assembleia Geral da Caritas Internacionalis, sob o tema “Uma só família humana, uma só casa comum”;
Dom Pedro falou igualmente das celebrações do aniversário de 20 anos da morte de Dom Settimio A. Ferrazzetta. Disse que “às raízes da moderna Guiné-Bissau”, era tema dos dois dias de recordação de Dom Settimio (15 e 16 de junho), no Centro Unitário Missionário de São Massimo de Verona e Selva di Progno com Santa Missa e inauguração do Museu da Memória.
Dom Pedro entregou aos participantes o texto: “10 ensinamentos do papa Francisco para as famílias”, de 13 de março de 2016: Francisco ao completar três anos como papa, a família tem sido tema recorrente em seus discursos”. https://www.semprefamilia.com.br/10-ensinamentos-do-papa-francisco-para-as-famílias/
O texto recorda dez trechos de pronunciamentos do papa Francisco sobre o matrimônio e a família:
1.         A importância de sonhar;
2.         A família nos ensina a abertura ao outro;
3.         Sem família não há humanidade;
4.         Ideologias que destroem a família;
5.         A crise da família;
6.         Cada filho é um milagre;
7.         “Perder tempo” com os filhos;
8.         O amor supera a dificuldade;
9.         Nunca deixar as pazes para depois;
10.      A harmonia que vem de Deus;

Tal texto acabou por ser objecto de estudo de grupos no sábado à tarde.




A noite, na Missa do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo, presidida por Dom Pedro Zilli, e concelebrada pelos Padres Luiz Paulo da Costa Monteiro e António Ambona, e que contou com a presença dos missionários, da comunidade e dos casais, foi feita investidura dos primeiros 16 coroinhas da Comunidade.





Conforme publicado no Site CNBB Sul 2 (https://www.facebook.com/CNBBRegionalSul2/?ref=br_rs), no dia 26 de junho, “o grupo de coroinhas foi preparado pelo seminarista Gabriel Duarte Lurczaki que, ao perceber uma necessidade da comunidade no campo litúrgico e ao mesmo tempo o grande número de crianças que participavam das missas, propôs aos missionários formar um grupo. Então, foi elaborado um estatuto, com algumas normas para o grupo de coroinhas e começaram as formações. ‘Propor às crianças serem coroinhas é uma forma de valorizá-las, integrando-as na liturgia, especialmente, nas missas dominicais’, ressaltou Gabriel”.




CABOXANGUE: SACRAMENTO DA CONFIRMAÇÃO



De sexta-feira a domingo, dias 14 a 16 de junho, Solenidade da Santissima Trindade, Dom Pedro Zilli esteve visitando a Missão Católica “São José, Esposo de Maria”, em Caboxangue, para ministrar o Sacramento da crisma. 

No sábado, de manhã, depois da celebração da missa na capela da casa, concelebrada pelo Frei Papa Paulo Nanque, com a participação do Frei Benvenuto Pegoraro, às 9,00 horas, Dom Pedro, em companhia do Frei Papa Paulo, teve um encontro com os 11 crismandos, dos quais, 04 vieram de Bissau para o sacramento.

Diante da pergunta, “o que mais me marcou na catequese para a crisma, desde outubro de 2018 até agora?”, surgiram algumas respostas, como as que seguem: o Espírito Santo nos dá forças no dia-a-dia; maior compreensão do que é o Espirito Santo e como ele atua na nossa vida; os dons são diferentes, mas o Espirito Santo é o mesmo; Jesus disse que iria, mas que não nos deixaria órfãos. Mandaria o Espirito Santo; alguém recordou que um catequista teria dito que não devemos abandonar a Igreja depois da crisma e que devemos ser “cristãos maduros”.
Dom Pedro, que havia iniciado o encontro, com a oração em que, no Rito da crisma, o bispo pede a Deus que envie sobre os crismandos, os dons do Espirito Santo, exortou o grupo a receber, como amor, este sacramento, sendo missionários para seus irmãos, especialmente os jovens de sua idade. Pediu-lhes que, a cada 16 de junho, se recordem, de modo especial, deste dia tão importante da graça da crisma em suas vidas. 
Recomendou-lhes a vivência do Projeto Pastoral 2018-2021: “a Igreja anuncia o Evangelho com alegria”. Disse-lhes que, com os dons do Espírito Santo, eles podem ajudar a Diocese a viver este Projeto. Falou-lhes do Sacramento do Matrimonio, do Sacerdócio e Vida Consagrada.
No domingo, a Santa Missa da Santíssima Trindade. Dom Pedro agradeceu todo o empenho da m
Missão em levar para a frente a evangelização, a educação e toda a atividade pastoral em Caboxangue e o precioso apoio que está ser dado à comunidade de Bedanda. Falou da sua alegria por estar em Caboxangue e crismar os 11 irmãos na fé cristã. Frei Papa Paulo agradeceu o Dom Pedro pelas suas “frequentes visitas” à comunidade e que isto é “motivo de alegria e de animação para todos”.


Depois da celebração, com Frei Papa Paulo, Dom Pedro seguiu para Bedanda e lá presidiu à celebração da Santa Missa. À tarde, de Bedanda, voltou para Bafatá.




domingo, 14 de julho de 2019

DIOCESE DE BAFATÁ: SECRETARIADO DIOCESANO DE PASTORAL (alargado)




                     
Nos dias 11 e 12 de junho - terça e quarta-feira, o Secretariado Diocesano de Pastoral (alargado) reuniu-se, no salão da Cúria diocesana, - com início às 16 horas da terça e encerramento com o almoço da quarta.

Para mais este momento importante na vida da Diocese, perfazendo um total de 40 pessoas, foram convocados os membros do Secretariado Diocesano - Vigário Geral, os Delegados do Bispo nos Setores pastorais, os Coordenadores das Comissões diocesanas -, Párocos, responsáveis de Missões, coordenadores de comissões nos sectores, Sacerdotes, uma irmã e um/a leigo/a consagrado/a das novas comunidades que não estavam representados no grupo anterior.
No contexto do Projeto Pastoral para o triénio 2018-2021 – “A Igreja anuncia o Evangelho com alegria”, o encontro centrou-se, sobretudo, no balanço final do Plano Pastoral “BO BIN, NO BAI” (2018-2019) e a aprovação do novo Plano Pastoral para o ano 2019-2020: “NO IANDA DJUNTU TRAS DI JESUS”.

Para o balanço final do Plano Pastoral, o Conselho Permanente de Pastoral elaborou um questionário a ser respondido previamente pelos Párocos, Responsáveis de Missões e Coordenadores de Comissões e ser apresentado no Secretariado.
Na avaliação, entre outros aspectos, foi dito que o Projeto Pastoral tem sido o “pano de fundo” e “luz” para toda a actividade pastoral; notou-se maior espirito missionário, sobretudo, nos catequistas; maior sentido de pertença à comunidade; foi pedido que haja mais visitas pastorais por parte do bispo e mesmo do coordenador diocesano de pastoral; que haja mais encontros formativos a partir do Projeto Pastoral; Foi sugerido que se dê maior divulgação ao próximo Plano Pastoral, via Radio, para que esteja mais próximo das comunidades.
O Secretariado refletiu também a respeito do “Mês Missionário Extraordinário, Outubro 2019”, com este maravilhoso lema: “Batizados e enviados: a Igreja de Cristo em missão no mundo”. Foi dito que o Mês Missionário Extraordinário deverá ser um fundamental estimulo para a vivência do ano pastoral 2019-2020.

Dom Pedro Zilli falou dos encontros em que participou no mês de maio:  13 a 19, Ouagadougou, Burkina Faso, 3ª Assembleia CERAO – RECOWA – Conferencia Episcopal Regional da Africa Ocidental, sob o tema “a Nova Evangelização e o desenvolvimento humano integral na Igreja-família de Deus na África Ocidental”, com dois subtemas: 1. “O desenvolvimento humano integral e o serviço social na Igreja-família de Deus na África Ocidental; 2. Juventude, fé e migração: o papel da Igreja-família de Deus na África Ocidental;  20 a 23 de maio, Roma,  9ª Conferencia Regional da Caritas África, com o tema: “África, terra de esperança”;  23 a 28, Roma, 21ª Assembleia Geral da Caritas Internacionalis, sob o tema “Uma só família humana, uma só casa comum”;



Dom Pedro falou igualmente das celebrações do aniversario de 20 anos da morte de Dom Settimio A. Ferrazzetta. Disse que “às raízes da moderna Guiné-Bissau”, era tema dos dois dias de recordação de Dom Settimio (15 e 16 de junho), no Centro Unitário Missionário de São Massimo de Verona e Selva di Progno com Santa Missa e inauguração do Museu da Memória.
Na Missa da quarta-feira, a Irmã Nice da Comunidade Boa Nova de Bolama, anunciou que a Comunidade concluía sua presença na Ilha e na Diocese no mês de junho. No encontro, Pe. Lucio Espindola Santos, de Tite, anunciou o seu retorno ao Brasil em agosto e a Irmã Ivanilda de Bafatá, anunciou o seu  retorono para Cabo Verde no início de julho.

sexta-feira, 12 de julho de 2019

DIOCESE DE BAFATÁ: DIA DO CATEQUISTA GUINEENSE



Durante três dias, sexta-feira a domingo, 31 de maio, 1 e 2 de junho, teve lugar em Buba a celebração do dia do Catequista Guineense, cujo padroeiro é São Carlos Lwanga, festejado liturgicamente, com 21 companheiros, no dia 03 de junho. O evento contou com a presença de noventa catequistas incluindo religiosos e religiosas de todas as Paróquias e Missões da Diocese de Bafatá.
As actividades tiveram início na sexta-feira com uma caminha de fé a partir da rotunda de Buba em direção à igreja mãe da Paróquia Santa Cruz, onde foram exibidos motivos e instrumentos da missão do catequista: a Cruz, a Bíblia e Velas acesas.

O sábado foi marcado pela reflexão sobre o tema: “O catequista anuncia o evangelho com Alegria”, tema escolhido na base do Projecto Pastoral Trienal da Diocese de Bafatá: “A IGREJA ANUNCIA O EVANGELHO COM ALEGRIA” orado pelo Pe. Domingos da Fonseca, Vigário Geral da Diocese, seguido de um tempo forte de debate e contribuições.
Durante a celebração eucarística, presidida pelo Pe. Paulo de Pina, Coordenador Diocesano de Catequese e de Pastoral, os catequistas foram exortados a continuarem a rezar pela Igreja e pelos cristãos que ainda hoje são martirizados, citando exemplo de Burkina Faso. Pediu que rezassem pela salvação de todos. Pe. Paulo exortou os catequistas e todos os cristãos a viverem na colaboração com outros evangelizadores, pois, segundo ele, o trabalho da evangelização é de nível comunitário, não deve ser monopólio de ninguém.
No início da tarde foram apresentadas encenações preparadas pelas Paróquias com base em textos da Bíblia.
As dezasseis horas houve duas partidas de futebol entre as duas equipas dos dois sectores pastorais que compõem a diocese, onde as catequistas do Sul venceram as de Leste e os catequistas de Leste venceram os de Sul. O dia terminou com um filme intitulado “A Missão”, referente aos padres Jesuítas nas terras dos índios da América do Sul.
No domingo, Pe. Domingos Da Fonseca foi quem presidiu a Eucaristia. Durante a homilia, exortou a todos sobre o papel e missão do catequista numa sociedade em constante transformação, onde, segundo ele, os valores do cristianismo enfrentam grandes desafios. Salientou a necessidade de se ter bons catequistas, porque a qualidade da Paróquia depende, em grande parte dos catequistas. Ressaltou que os catequistas devem rezar muito, estudar muito e preparar bem a sua catequese, não para ser professor, mas facilitador, orientador e mestre como Jesus. O catequista deve ser exemplar, porque, mais do que com palavra, a vida ensina mil vezes melhor.

Durante o momento de balanço dos três dias, todos foram unânimes em agradecer a oportunidade de participar de algo que correu num clima de amizade e de fé cristã. Entretanto, recomendaram o seguinte: pensar na logística antes de organizar o encontro num determinado sítio, porque faltavam espumas para todos dormirem bem. Organizar mais formações diocesanas com duração de mais ou menos uma semana no mínimo para os catequistas com mais de 5 anos de experiencias; evitar que os recém-crismados comecem logo a dar catequese mas valorizar o catequista auxiliar nas formações feitas localmente por cada paróquia; evitar de mandar os jovens ou os adolescentes para darem catequese aos adultos, sobretudo nas aldeias; produzir manuais de formação adaptados a nossa realidade; confeccionar materiais audiovisuais para ajudar na administração da catequese; mais formações bíblicas, pedagógicas e metodológicas; atribuir diploma de mérito aos catequistas mais antigos como modo de incentivá-los na missão; exigir que os catequistas tenham uma bíblia própria.
Num clima de irmandade a festa terminou com um almoço de confraternização, música e danças.
Foram três dias intensos de reflexões, de partilhas e de festa do catequista e sua missão no mundo contemporâneo e de modo particular na Guiné-Bissau especialmente os desafios na Diocese de Bafatá que em 2021 completará vinte anos da sua criação.




Segundo o Blog, Bissau, Diocese em Caminho,
http://dioceseemcaminho.blogspot.com/2019/06/celebracao-do-dia-do-catequista-em-bor.html, na Diocese de Bissau, o dia do catequista foi realizado no sábado 8 de junho, prevendo uma palestra, seguida de perguntas ao orador, a celebração da Santa Missa e, depois do almoço, a tarde recreativa.
A palestra, orientada pelo bispo auxiliar de Bissau, Dom José Lampra Cá, tinha como tema: "Perfil do catequista para a nova evangelização". O Blog subinha que “o nosso pastor aproveitou a ocasião para tirar muitas dúvidas sobre a identidade e o perfil do catequista e a sua missão na Igreja”.  

Saliente-se que no sábado, dia 07 de Junho 2008, a Igreja da Guiné-Bissau comemorou, pela primeira vez, o “dia do catequista guineense”. São Carlos Lwanga, cuja festa ocorre no dia 03 de junho,  foi adotado como seu padroeiro. Previa-se reunir o maior numero possivel de catequistas para um dia de festa, onde eles pudessem perceber que não estão sozinhos nesta nobre tarefa da catequese; dizer-lhes obrigado por tudo aquilo que gratuita e generosamente fazem na evangelização, apresentar-lhes o testemuho de São Carlos Lwanga que, por Cristo, foi martirizado.

quarta-feira, 10 de julho de 2019

DIOCESE DE BAFATÁ: 13ª JORNADA DIOCESANA DA JUVENTUDE



Sob o lema: "Eis aqui a serva do faça se em mim segundo a tua palavra" (Lc. 1,38), nos dias 24 a 26 de Maio (sexta-feira a domingo), teve lugar em Buba, a 13ª Jornada Diocesana de Juventude Católica, que contou com a participação de mais de 850 jovens. Na sexta-feira, a chegada e acolhimento dos jovens e Adoração ao Santíssimo Sacramento. A noite que decorreu dentro de um clima de silêncio e meditação por parte de jovens. 

No sábado, houve a catequese alusiva ao tema facilitada pelo Pe. Domingos da Fonseca, Pároco em Bambadinca e Vigário Geral da Diocese. Durante sua explanação, fez alusão à diferença entre serva e escrava e os jovens procuraram viver o espírito do serviço através de maturidade e colaboração que demonstraram: recolha de lixo serviço de água,... Ainda na parte da manhã, o Pe. Markus Prim, Sacerdote da Diocese de Campo Mourão, PR, em visita à Diocese, presidiu a celebração eucarística.
No período da tarde, realizou-se a marcha da paz que decorreu num clima de alegria e festa e à noite houve animação das paróquias e músicos sociais.



No domingo, a missa do encerramento da jornada presidida pelo Pe. Domingos e depois no período da tarde, foi feita a bênção dos objectos e despedida.

Dom Pedro Zilli, impossibilitado de participar, por estar em Roma para a reunião das Caritas África e Internationalis, enviou a seguinte mensagem aos participantes:

Roma, 25 de maio, dia África
“Caros jovens, sacerdotes, Irmãs, Consagrados, Comunidades reunidas em Buba, Sacerdotes, Irmãs, Paroquianos de Buba, estando em Roma para as Conferências das Caritas África e Internationalis, sinto-me profundamente unido a vocês na Jornada da Juventude Diocesana, ai em Buba, nestes dias do mês de maio, mês de Maria. Para que se chegasse a mais esta Jornada Diocesana da Juventude, foi exigido um bom pouco de sacrifício das Paróquias/Missões, da Comissão Diocesana da Juventude, da Paróquia Santa Cruz de Buba e, sobretudo dos jovens.
Apesar do sacrifício, vocês estão reunidos em Buba. Tenho certeza de que estão felizes por se encontrarem com outros jovens, outras comunidades. Tenho  certeza de que estão felizes por encontrarem irmãos e irmãs que seguem a Jesus e estão anunciando Jesus aos irmãos e irmãs de suas comunidades.


Na 9ª Conferência Regional da Caritas África, o tema foi: “África, terra de esperança”. Gostei muito deste tema, pois quando  se fala em África, pensa-se logo em pobreza, conflitos, migração, refugiados, atentados, cristãos assassinados,…! Infelizmente, tudo isto é verdade e é muito triste. Tudo isto pede a nossa oração mais intensa e a nossa coragem, na fé, para continuar a viver com alegria e com projetos novos. Gostei muito do tema, pois os testemunhos dados, durante a reunião, demonstraram que há muita gente lutando, trabalhando por uma África ainda mais bonita; há muitos jovens dispostos a trabalhar por uma África bem mais centrada em promover o bem comum, estando do lado dos mais carenciados.
A 34ª Jornada Mundial da Juventude, realizada no Panamá, em janeiro deste ano, com a participação de 10 membros de nossas duas dioceses, teve como tema, as palavras de Maria: “Eis a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua Palavra”. É este o tema que vocês estão a meditar nestes dias.

Que Maria, Nossa Assunta ao Céu, Padroeira da Nossa Diocese, cubra com seu manto sagrado, cada um de nossos jovens, suas famílias; que ela cubra com seu manto sagrado as nossas famílias, os casais que estão a se preparar para o sacramento do matrimónio, os vocacionados, os sacerdotes, os consagrados; que ela cubra com o seu manto sagrado, os jovens da Diocese de Bissau, também eles reunidos em Jornada Diocesana da Juventude. 
Abençoo a cada um, cada uma de vocês, presentes na Jornada Diocesana da Juventude. Com a graça de Deus e com o nosso empenho, continuemos a viver com amor, o nosso Projeto Pastoral 2018-2021: “A Igreja anuncia o Evangelho com alegria”.
Minha saudação a todos. Dom Pedro Zilli,


terça-feira, 2 de julho de 2019

ROMA: CARITAS ÁFRICA E CARITAS INTERNATIONALIS REUNIRAM-SE


 
AUDIÊNCIA Caritas Internationalis
Roma acolheu, nos dias 20 a 23 de maio, a 9ª Conferencia Regional da Caritas África, e nos dias 23 a 28, do mesmo mês de maio, a 21ª Assembleia Geral da Caritas Internacionalis. A exemplo das demais pessoas, Dom Pedro Zilli e Sra. Fátima Gomes, Secretária Geral da Caritas Guiné-Bissau participaram das duas reuniões.
Caritas Internationalis
A 9ª Conferencia Regional da Caritas África teve como tema: “África, terra de esperança”. Dom Pedro disse que “gostou muito do tema, pois quando se fala em África, pensa-se logo em guerras, pobreza, atentados, seca, fome. Infelizmente, estas coisas existem e são muito tristes”. No entanto, diz ter se alegrado, pois “durante a reunião, foram dados muitos exemplos de coisas boas que acontecem na África e que são um bem para toda a humanidade”.
A 21ª Assembleia Geral da Caritas Internacionalis decorreu sob o tema “Uma só família humana, uma só casa comum”. A cada quatro anos, representantes da Confederação Caritas Internacional de 168 organizações membros se reúnem em solidariedade em sua Assembleia Geral, em Roma. Neste ano, 450 pessoas participaram do evento.
Na segunda-feira, dia 27 de maio, na Sala Clementina do Palácio Apostólico Vaticano, o Santo Padre Francisco recebeu em audiência os participantes da Assembleia Geral da Caritas Internationalis.
Falou de três aspectos fundamentais para viver a Caritas, ou seja, a caridade, o desenvolvimento integral e a comunhão. Exortou-nos a viver estes três aspectos com estilo de pobreza, de gratuidade e de humildade. Realço um ponto de suas palavras. Ele disse: “Não se pode viver a caridade sem ter relações interpessoais com os pobres: viver com os pobres e para os pobres. Os pobres não são números, mas pessoas. Porque vivendo com os pobres aprendemos a praticar a 

Cardeal Luis Antonio Tagle, Arecebispo de Manila, Presidente da
 Caritas Internationalis
caridade com o espírito de pobreza, aprendemos que a caridade é partilha. Na realidade, não só a caridade que não chega ao bolso resulta uma falsa caridade, mas a caridade que não envolve o coração, a alma e todo o nosso ser é uma ideia de caridade ainda não realizada”.
Na Mensagem Final da Assembleia Geral, foi dito: “Reafirmamos nosso compromisso de construir um mundo onde Deus é reconhecido como amor, justiça e paz; onde a solidariedade é abraçada por todos, onde não haverá mais excluídos, explorados ou marginalizados; onde todas as pessoas vivem com dignidade e onde toda a criação é valorizada em nossa casa comum. Voltamos para casa alegres pela experiência do que a presença do Senhor ressuscitado Jesus gerou entre nós. Voltamos fortalecidos em nosso serviço de caridade, justiça e transformação social, acompanhados por nossos bispos”.

Marina de Cabo Verde, Dom Pedro, Fátima de Bissau, Dom Ildo de Cabo Verde



segunda-feira, 1 de julho de 2019

OUGAGADOUGOU, BURKINA FASO: 3ª ASSEMBLEIA CERAO – RECOWA - CONFERÊNCIA EPISCOPAL REGIONAL DA ÁFRICA OCIDENTAL







Sob o tema “a Nova Evangelização e o desenvolvimento humano integral na Igreja-família de Deus na África Ocidental”, com dois subtemas: 1. “O desenvolvimento humano integral e o serviço social na Igreja-família de Deus na África Ocidental; 2. Juventude, fé e migração: o papel da Igreja-família de Deus na África Ocidental, de 13 a 19 de maio, segunda-feira a domingo, os bispos da Guiné-Bissau, Dom José Câmnate, Dom Pedro Zilli e Dom José Lampra, participaram em Ouagadougou, capital do Burkina Faso, Africa Ocidental, da 3ª Assembleia CERAO – RECOWA - Conferencia Episcopal Regional da África Ocidental. 

A Assembleia contou com a presença de mais 100 bispos provenientes de 16 países de línguas inglesa, francesa e portuguesa: Burkina Faso, Guiné-Bissau, Guiné-Conacry, Senegal, Mauritânia, Gambia, Ghana, Togo, Mali, Nigéria, Niger, Costa do Marfim, Serra Leoa, Libéria, Cabo Verde e Benim.




Perguntou-se se era o caso de realizar a Assembleia devido ao fato de a África Ocidental passar por violência causada por terroristas. Cristãos estão sendo mortos. Não seria perigosa uma reunião tao importante, num ambiente tão perigoso? Era perigoso sim! De fato, via-se policiais armados por todo lado, para garantir segurança dos bispos e demais participantes. Chegou-se mesmo a pensar se não seria o caso de realizar a reunião numa outra data, num outro lugar. No entanto, a presença dos bispos foi vista pela Igreja, pelo Governo e pelo povo do Burkina Faso, como um maravilhoso gesto de comunhão, de solidariedade na luta contra o terrorismo, o tráfico humano, a pobreza. A presença dos bispos de todos estes países representa uma ocasião para a renovação da esperança numa vida mais digna de Deus, dos homens e das mulheres que vivem numa condição de contínuo sofrimento.



GEBA: PEREGRINAÇÃO MARIANA






No dia 11 de maio, sábado, o Setor Pastoral Leste, da Diocese de Bafatá, realizou mais uma peregrinação a Geba, distante 20 kms de Bafatá, onde em 2014, foram celebrados os 80 anos da construção da atual igreja, em 1934 e os 320 anos da primeira visita de um bispo a Geba, Dom Frei Victoriano do Porto em 1694. A peregrinação que teve seu início em Leiria, cerca de 03 km de Geba, com concentração às 06,00 horas da manhã, contou com as paróquias de Nossa Senhora da Graça e São Daniel Comboni de Bafatá, Gabu e as comunidades de Geba e de Contuboel. Atraiu um bom número de jovens e adolescentes e de adultos.

Às 10,30 horas Dom Pedro Zilli presidiu à celebração eucarística, concelebrada pelo Pároco e delegado do Setor Pastoral Leste Pe. Alberto Gomes, Pe. Paulo de Pina Araújo, Pe. Andrea Mattuzi, Pe. Odilon Judicäel Leno, Pe. Oliver Izuchukwu Ihedimbu.
Na homilia, Dom Pedro convidou os peregrinos a rezarem pela Guiné-Bissau, pelas Paróquias que têm Nossa Senhora de Fátima como Padroeira (Bissau, Catió, Quinhamel); convidou-os a rezarem pelo Projeto Pastoral 2018-2021 da Diocese de Bafatá: “A Igreja anuncia o Evangelho com alegria”. 

Citou a página 25 do livrinho com o Projeto: “No contexto do Projeto Pastoral deste triénio: ‘a Igreja anuncia o Evangelho com alegria’, vamos viver o primeiro ano pastoral 2018-2019. Este ano terá como lema ‘Bo bin, no bai’ que é o convite para vivermos uma ‘Igreja em saída’”. Dom Pedro exortou os participantes a imitarem Jesus “que se aproximava os ‘tristes’ como se aproximou dos discípulos de Emaús. Ainda conforme o Projeto Pastoral, Dom Pedro disse que devemos “ir ao encontro daqueles que não conhecem ainda Jesus Cristo com atitude de atenção, de disponibilidade, de solidariedade…”.
No final da celebração, Pe. Paulo de Pina que coordenou os preparativos para a peregrinação como também a peregrinação, manifestou sua alegria pelo modo como as coisas correram. Agradeceu os “Filhos e Amigos de Geba” pelo empenho de, pouco a pouco, em meio às dificuldades económicas pelas quais passa a Guiné-Bissau, terem quase concluído a restauração da igreja. Pe. Paulo realçou que cada um dos “Filhos e Amigos de Geba”, conforme suas possibilidades e generosidade, deu o seu valioso contributo. Pe. Alberto Gomes e Dom Pedro também agradeceram a generosidade destes irmãos que amam Geba e sua Igreja.



sexta-feira, 28 de junho de 2019

BAMBADINCA: IRMÃ ERMELINDA É APRESENTADA À COMUNIDADE PAROQUIAL





No dia 12 de maio, 4º Domingo de Páscoa, domingo do Bom Pastor, Dia Mundial de Oração pelas Vocações, na Santa Missa presidida por Dom Pedro Zilli a comunidade da Paróquia do “Imaculado Coração de Maria”, em Bambadinca, viveu a alegria da apresentação da Irmã Ermelinda Nicolau Biai, a primeira professa guineense das Irmãs Franciscanas da Imaculada Conceição.  Dom Pedro, Pe. Domingos da Fonseca (pároco), as irmãs de sua Congregação e toda a comunidade deram “boas vindas” à Irmã, realçando que ela chegava na Paróquia exatamente no “Dia Mundial de Oração pelas Vocações”, cujo tema proposto pelo Papa Francisco foi: “A coragem de arriscar pela promessa de Deus”.

De acordo com os Blogs “Diocese em Caminho”, do dia 05 de maio, e “Frarenato” de 09 de maio, “grande festa na comunidade paroquial de Nhoma, no sábado 4 de maio, pela primeira profissão duma jovem guineense: ir. Ermelinda Nicolau Biai….Depois desta longa caminhada, finalmente no sábado passado, ela coroou o seu sonho de ingressar na congregação das irmãs franciscanas. A cerimónia, simples mas muito curada, aconteceu durante a celebração eucarística presidida pelo Bispo de Bissau D. José Camnate na Bissign. Para a ocasião, estava presente a Madre Geral das irmãs da Imaculada Conceição Irmã Maria Balbina Medrano Villatoro, acompanhada pela Madre Provincial. Logo depois da comunhão, a nova irmã recebeu as "insígnias" de mulher garandi, quer dizer, o pano e as contas da sua etnia, a simbolizar que ela agora podia assumir as responsabilidades duma mulher adulta. Logo depois da profissão, as irmãs ofereceram aos participantes um almoço muito saboroso no salão paroquial”.

Os blogs dizem ainda: “natural de São Domingos (Região de Cacheu), onde nasceu em 10 de novembro de 1992, a Ermelinda conheceu as irmãs franciscanas na comunidade Santa Mãe de Deus, na paróquia de Nossa Senhora da Ajuda, em Bissau. Lá, ela fez a sua caminhada vocacional entrando na casa de formação no dia 18 de setembro de 2013. Depois de dois anos de aspirantado (2014 e 2015) e um de postulantado (2016), ela começou o seu noviciado em Nhoma a 8 de dezembro do mesmo ano. De dezembro de 2018 a março de 2019, ela fez a sua experiência apostólica na fraternidade das irmãs de Bambadinca”.







BAFATÁ: ESTUDANTES DA UCGB VISITAM DOM PEDRO ZILLI



Com o lema: “Da alguin balur ora ki sta bibu”, (valorizar alguém enquanto está vivo”, de 26 a 28 de Abril, sexta-feira a domingo – 2º de Páscoa - a Direção da Associação dos estudantes da Universidade Católica da Guiné – Bissau (UCGB) e alguns colegas, descolocaram-se de Bissau a Bafatá,  para uma visita ao Dom Pedro Zilli, vice-chanceler da Universidade. Os estudantes chegaram na noite do dia 26, sexta-feira.

No sábado, os católicos participaram da celebração eucarística na Catedral, presidida pelo Pe. Paulo de Pina Araújo. Depois da celebração, os estudantes tiveram um encontro com Dom Pedro, onde partilharam as conquistas e desafios na Universidade. Fizeram várias questões ao bispo, que procurou responder as suas preocupações.
Ao terminar este momento, com o bispo, Pe. Paulo de Pina Araújo orou uma palestra sobre o diálogo inter-religioso na Guiné-Bissau. Pe. Paulo explicou aos estudantes a diferença entre o diálogo inter-religioso e o diálogo Ecuménico. Falou da importância do diálogo inter-religioso na sociedade atual. Referiu os gestos da Diocese de Bafatá neste processo, exemplificando que, em torno dia 01 de Janeiro, Dia Mundial da Paz, ela convida as confissões religiosas para uma oração, no mesmo local e na mesma hora, pela paz. Falou da abertura dos católicos às outras religiões, de maneira especial aos muçulmanos e aos membros da Religião Tradicional, em várias instituições, como a rádio Sol Mansi, Caritas, escolas, hospitais…

Falou também que os Muçulmanos da Guiné-Bissau têm uma grande consideração e respeito pelos cristãos, sobretudo aos padres e irmãs. Pediu aos jovens muçulmanos para buscarem conhecer a sua religião, de modo a não serem enganados pelos extremistas. Falou ainda da relação da Igreja com a Religião tradicional Africana. O tema foi muito bem participado pelos estudantes devido a sua pertinência e atualidade.
Depois deste momento, os visitantes repousaram, à tarde jogaram futebol com os professores do Liceu Pe. Leopoldo Pastori. Na noite deste mesmo dia, fizeram uma sessão cultural no salão da Missão Católica de Bafatá, tendo convidado o Pe. Paulo de Pina para cantar algumas músicas. Este momento também foi muito bem vivido por eles.


No Domingo, dia 28 de Abril, os estudantes participaram da Santa Missa do 2º domingo de Páscoa, “Domingo da Divina Misericórdia” presidida por Dom Pedro, na Sé Catedral. No fim da Missa, os estudantes ofereceram a Dom Pedro, como gesto de reconhecimento, um quadro com a sua foto, como lembrança dos dias vividos com ele. Depois da Missa, foram fazer um passeio à cidade de Bafatá, e na tarde partiram para Bissau, depois de terem se despedido de Dom Pedro que agradeceu-lhes “pelo gesto de amizade e de carinho”.

terça-feira, 4 de junho de 2019

DIOCESE DE BAFATÁ: FORMAÇÃO DOS CATEQUISTAS FORMADORES



De 24 a 27 de Abril, quinta-feira a sábado na oitava de Páscoa, a Comissão Diocesana da Catequese realizou, pela primeira vez, uma formação para os catequistas formadores, com o objectivo de reforçar  formação dos catequistas na Diocese. A formação que decorreu na Paróquia Nossa Senhora da Graça em Bafatá, contou com  a participação de 5 catequistas, 02 da Paróquia Nossa Senhora da Graça-Bafatá, 01 da Paróquia Nossa Senhora da Consolata-Empada, 01 da Paróquia Santa Isabel de Gabú e 01 da Paróquia São José de Bolama.
No primeiro dia de Formação, 24 de Abril, Pe. Avito José de Araújo fez uma introdução à Sagrada Escritura na parte da manhã, na parte da tarde,  ensinou aos catequistas os métodos da interpretação dos textos Bíblicos.
No segundo dia, 25 de Abril, antes do início da formação, o nosso Bispo, Dom Pedro Zilli, visitou os catequistas na presença do Coordenador Diocesano da Catequese, Pe. Paulo de Pina Araújo e dos dois coordenadores, de sector Pastoral Leste e Sul, irmã Florinda da Costa Sá e Pe. Augusto Mutna Tambá, respectivamente. Pe. Paulo de Pina explicou ao bispo a razão pela qual a Comissão da Catequese organizou a referida formação, falou também dos temas que vão ser desenvolvidos e dos oradores. O bispo, ao usar da palavra falou da importância da formação dos catequistas, lembrou de alguns anos atrás, em que, segundo ele, a formação dos catequistas era uma das preocupações mais fortes na Igreja da Guiné-Bissau, acrescentou que a Comissão da Catequese era a única existente. Comentou que as formações para os catequistas duravam vários dias para que estes pudessem adquirir conhecimentos necessários para dar a catequese. Agradeceu a Comissão pela iniciativa de formar alguns catequistas  formadores de outros catequistas, o que, para ele, vai ajudar bastante na capacitação destes na Diocese. Os catequistas formandos ficaram muito contentes com a presença do Bispo, lamentaram da fraqueza do ardor missionário hoje, fato que para eles está sendo motivado pelo empenho excessivo dos missionários no campo social, mais que no processo da Evangelização. Depois deste momento, com a ajuda da Irmã  Alessandra Bonfanti, das Missionárias da Imaculada, os catequistas aprenderam sobre a organização da catequese nas nossas dioceses segundo os Directórios Catequéticos de Adultos, de Crianças e Adolescentes, feitos no ano 2007 em versão experimental. Na parte da tarde, a Irmã fez uma abordagem sobre a metodologia catequética.


No terceiro dia, 26 de Abril, Pe. Augusto Mutna Tamba, coordenador de Catequese no sector Pastoral Sul, falou aos catequistas dos 10 mandamentos da Lei de Deus. Na sua abordagem, ele tentou contextualizar os 10 mandamentos na realidade guineense, o que motivou muito os catequistas a participarem com questões e contribuições.
No último dia, 27 de Abril, na parte da manhã. Pe. Paulo de Pina Araújo, Coordenador Diocesano de Catequese, falou sobre o tema da inculturação. Na sua explanação, explicou o sentido da palavra inculturação segundo o ensinamento da Igreja. Falou também da Religião Tradicional e dos aspectos básicos que constituem esta Religião. Depois, juntamente com os catequistas, refletiu sobre aspectos compatíveis e incompatíveis desta religião com a fé cristã. Este tema também foi muito bem participado, pois constitui o maior desafio que o processo da evangelização enfrenta na nossa Igreja da Guiné-Bissau.
Na parte da tarde, Pe. Paulo concluiu o tema da Inculturação e introduziu o tema sobre o projecto Pastoral do triénio 2018-2021: “IGREJA TA KONTA VANJELIU KU ALEGRIA”. Tentou fazer uma panorâmica histórica que motivou a produção do Projeto e explicou o sentido do tema escolhido para este ano Pastoral, 2018-2019: “Bo bin, no bai”.
No fim, os catequistas fizeram um balanço daquilo que foi o encontro. Todos agradeceram pela oportunidade de participar da primeira formação do género na diocese, enalteceram a importância dos temas abordados e pediram que, na próxima vez os dias de formação sejam alargados e que o tema da inculturação seja retomado, não só para eles mas também para outros grupos e movimentos, pois é algo crucial.
Pe. Paulo de Pina, agradeceu muito aos catequistas pela paciência e disponibilidade que tiveram e lhes pediu que procurem por tudo o que receberam na prática, para que outros catequistas sejam bem formados.
No domingo, dia 28 de Abril, os catequistas participaram da missa na Sé Catedral de Bafatá, missa presidida pelo bispo Dom Pedro. No fim da Missa agradeceram e despediram a comunidade.

sábado, 11 de maio de 2019

UCGB: INAUGURAÇÃO DO CENTRO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO E CULTURA E OUTRAS ATIVIDADES NO DO PROJETO “CULTURA I NO BALUR”





Em nome dos bispos da Guiné-Bissau, Dom Pedro Zilli participou na sexta-feira, dia 26 de abril, da cerimônia de inauguração do Centro de Estudos de Educação e Cultura (CEEC) da Universidade Católica da Guiné-Bissau, equipado no âmbito do projeto "Cultura i nô balur". Trata-se de um espaço aberto a todos os alunos e equipado com computadores e com acesso à Internet, disponíveis para investigação acadêmica. Durante a cerimônia, foram entregues 21 certificados aos estudantes da pós-graduação em Educação Intercultural e foi iniciado oficialmente o Mestrado em Educação pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa.

No ato de inauguração, alem de Dom Pedro Zilli, marcaram presenças: Doutora Zaida Pereira, Reitora da UCGB; Sra. Carla Pinto, Representante da FEC;  Sra. Paula Matos Costa, representante do Instituto Camões; Doutor Inquenhe Natanda, Diretor da Faculdade de Ciências da Educação da UCGB; Doutora Guilhermina Miranda, Professora do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa; Sr.Constantino Mendes, Presidente da Associação Guineense dos Profissionais de Educação de Infância; Mestre Fernando Nhaga, Diretor do CEEC; Cindy Carvalho, Presidente do Conselho Diretivo do CEEC;  Eng. Emiliano Gomes, Diretor da Faculdade de Economia, Administração e Gestão da UCGB; Doutor Pedro da Costa, Reitor da Universidade Colinas de Boé.

No dia 27, tiveram início as aulas do Mestrado em Educação do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa (IE-UL). As aulas decorrem nas instalações da Universidade Católica da Guiné-Bissau (UCGB) até maio de 2020, no âmbito de uma parceria realizada pelo projeto “Cultura i nô balur”. O mestrado conta com 15 alunos que concluíram a pós-graduação em Educação Intercultural do IE-UL, realizada no quadro do mesmo projeto.
No mesmo dia 27,  teve início, também na UCGB, a segunda edição da Formação Contínua “Cultura e Tradição da Guiné-Bissau em Contexto Educativo”. A formação conta com 88 alunos das áreas de Educação Básica e de Educação de Infância e as aulas decorrem ate dia 22 de junho, num total de 48 horas.

Ambas as atividades fazem parte do projeto "Cultura i nô balur", desenvolvido pela FEC em parceria com a ENGIM Guiné-Bissau, a Universidade Católica da Guiné-Bissau, o Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, a Associação de Escritores da Guiné-Bissau e a Afectos Com Letras ONGD, com financiamento da União Europeia na Guiné-Bissau, da Misereor e do Instituto Camões.