quarta-feira, 28 de junho de 2017

CLERO DIOCESANO REUNEM-SE



Realizou-se nos dias 21 e 22 de junho no Seminário Maior Dom Settimio A.Ferrazzetta o encontro do clero diocesano, iniciando com as vésperas seguida do jantar.  Após o jantar houve a apresentação do programa para os dois dias de encontro, seguida da leitura da ata da ultima reunião realizada em Bambadinca e que foi aprovada com algumas emendas.

Na quarta-feira dia 22, iniciou-se com a Santa Missa integrada com as laudes. Na parte da manhã houve a apreciação do Estatuto da Associação dos Padres Diocesanos e discussão e aprovação da modalidade de apoio no caso de doença ou falecimento dos pais ou do próprio membro da associação. O encontro encerrou-se com um fraterno almoço com os seminarista maiores.

quarta-feira, 21 de junho de 2017

PE. MARIO FACCIOLI É HOMENAGEADO EM OCCHIOBELLO


No sábado, dia 17 de junho, por ocasião da “11ª Festa África”, a comunidade de Occhiobello, norte da Itália, viveu um momento muito lindo: a dedicação da praça urbano situada na Via Cavallotti daquela cidade à memória do seu ilustre conterrâneo Pe. Mario Faccioli, missionário do PIME, nascido no dia 27 de março de 1922 e falecido no dia 15 de dezembro de 2015, com a idade de 93 anos. Chegou na Guiné-Bissau em 1956, tendo permanecido no País até 2008: 52 anos de missão.

A Associação “Semi di Speranza Onlus” quis homenageá-lo, dizendo que “Pe. Mario sempre foi muito amado pela comunidade de Occhiobello”. Sublinha que “a Festa África teve início há 11 anos, exatamente a partir de um seu pedido concreto para um caso humano”.
Através dos amigos Paolo e Paola Saretto, casal que foi missionário na Guiné-Bissau nos anos 80, Dom Pedro Zilli foi convidado pela Associação, para o grande ato da dedicação da praça ao Pe. Mario. Na sexta-feira, à noite, dia 16, Dom Guido e Dom Alberto, párocos, animaram a Adoração Eucarística com testemunhos missionários sobre a Guiné-Bissau e sobre a figura do Pe. Mario. No sábado à tarde, às 17 horas, o grande momento: a Santa Missa na praça, presidida por Dom Pedro e a cerimonia do descerramento da placa, uma inciativa que, como disse a representante da prefeitura de Occhiobello, “recorda uma pessoa que deu a vida pelos irmãos mais necessitados da Guiné-Bissau e exorta a um ainda maior respeito e bom uso da praça que ganhou o nome de uma figura tão exemplar”. Naquele momento tão importante, na conclusão de suas palavras, Dom Pedro Zilli disse: “Agradecendo o convite da Associação ‘Semi di Speranza Onlus’ para estar aqui, peço ao Senhor para que tantos jovens possam seguir o exemplo de Pe. Mario Faccioli e tantos missionários e benfeitores que se empenham em favor do bem dos outros, tantos os próximos como os distantes”.
No ato Solene do sábado, além de Dom Pedro Zilli, estavam presentes os seus coirmãos no PIME: Pe. Carlo Tinello, Superior Regional PIME Itália; Pe. Donisio Ferraro e Pe. Giovanni Musi, ambos com longos anos de dedicação à Missão na Guiné-Bissau; Pe. Sergio Marcazzani da Diocese de Verona que também foi missionário na Guiné-Bissau; Dr. Serafino Sordato e amigos da Rete Guiné-Bissau; vários amigos guineenses que vivem na Itália e a família Faccioli a quem Dom Pedro teve a honra de visitar. Após ao ato Solene, houve um jantar com várias atrações artísticas para levantar fundos a fim de apoiar uma escola na Guiné-Bissau.

No domingo, depois da Missa do “Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo”, Dom Pedro viajou para Bertinoro para a celebração do Centenário do “Transito” da Venerável Madre Serafina – 18 de junho de 1917-18 de junho de 2017, das Clarissas Franciscanas Missionárias do Santíssimo Sacramento.



terça-feira, 13 de junho de 2017

QUEBO, PROMESSAS DOS VALENTES


No domingo, dia 11 de junho, teve lugar pela primeira em vez na Missão Católica Beato Paulo VI em Quebo, a promessa de 43 valentes – CV-AV (Coração Valente, Alma Valente) daquela Sessão de Base. 

A cerimonia contou com a participação de todos os representantes das diferentes Sessões de Base que compõem o Bureau Diocesano de Bafatá. A celebração foi presidida pelo Assistente Diocesano Pe. Dingana Sigá e concelebrada pelo Pe. Ivan Luiz Walter e o Diácono Pedro Lang, que é o Assistente Espiritual da Sessão de Quebo.



Durante a homilia, Pe. Dingana sublinhou que é necessário trabalhar para que haja comunhão entre os membros do movimento sem, no entanto, perder o sentido da pertença a Igreja Família na diocese.  Tomando como referencia a comunhão na Santíssima Trindade, o movimento deve estar a serviço da comunidade como a comunidade está a serviço da igreja universal. Por outro lado, pediu que as Promessas não sejam um simples rito para mudança das etapas mas que sejam um real compromisso com Cristo, com a Igreja e o movimento.



A cerimonia foi encerrada num ambiente de festa, música, dança e finalmente com um almoço de confraternização. 

segunda-feira, 12 de junho de 2017

CATIÓ: SACRAMENTOS DA INICIAÇÃO



No Domingo, dia 11 de junho, Solenidade da Santíssima Trindade, a comunidade paroquial Nossa Senhora de Fátima, de Catió, viveu a alegria dos Sacramentos da Iniciação Cristã: Batismo, Crisma e  Eucaristia.

Durante a celebração da Santa Missa, concelebrada pelo Pároco, Pe. Fabio Motta e o Vigário Paroquial, Pe. Maurizio Fioravanti, Dom Pedro Zilli batizou 13 jovens e 03 adultos. Os 03 adultos foram crismados, juntamente com outros 05 membros da comunidade. Os neófitos receberam a Primeira Eucaristia.
No início da celebração, Dom Pedro convidou os presentes a rezarem pelas Missionárias da Consolata que, no dia 25 de junho, em Empada, celebrarão 25 anos de presença na Guiné-Bissau. Que rezassem pelo PIME que, neste ano 2017, completa 70 anos de Guiné-Bissau. Falou da sua alegria em participar, no próximo dia 17 de junho, em Occhiobello – Itália, da homenagem a Pe. Mário Faccioli, um dos primeiros missionários do PIME em Catió.

Os que receberam os Sacramentos, além da preparação remota feita na catequese que durou tempo, tiveram, no sábado,  uma manhã de retiro sob a orientação do Pe. Fabio Motta. O retiro foi fundado em 02 trechos da Palavra de Deus: “deixai-vos guiar pelo Espirito Santo” (Gl.5,16-17) e Jo. 3,16-18, o Evangelho para a Solenidade da Santíssima Trindade Ano A.
No final da celebração, Dom Pedro agradeceu o Pe. Fabio Motta pelos 07 anos de missão em Catió. Disse estar “triste porque a paróquia e a diocese deixarão de contar com sua preciosa atuação direta, mas que está alegre, pois o PIME ganhou um bom Superior Regional que animará todos os padres e que, com certeza, não esquecerá Catió”. A reação da comunidade foi de tristeza: querem muito bem a ele.


No sábado à tarde, Dom Pedro acompanhou o seminarista Luca Vinati à tabanca de Gantone para a catequese de encerramento do Ano Pastoral 2016-2017. Os catequizandos do primeiro ano do catecumenado e do pré-catecumenado fizeram a avaliação de como correu o ano. Entre outros aspectos, disseram não poder contar sempre “com o apoio dos grandes” e que há “dificuldades na compreensão da Palavra de Deus”, etc. Dom Pedro animou-os a irem à frente no caminho cristão. Refletiu com eles a palavra de São Paulo na Segunda Carta aos Coríntios 5,17: “Se alguém está em Cristo, é uma nova criatura…”. Falou-lhes do Ano Bíblico na Diocese de Bafatá – 2017-2018. Luca disponibilizou-se a ir à tabanca no mês de agosto para momentos de leitura da Palavra de Deus “com 20 participantes ou mesmo somente 02”.  





DIOCESE DE BAFATÁ - SECRETARIADO PASTORAL, COMUNICADO FINAL


Em comunicado, no final da reunião, em Bafatá de 6 a 8 de junho, o Secretariado  de Pastoral da Diocese de Bafatá apelou aos orgãos de soberania a promoverem o diálogo institucional de forma a encontrar a solução da crise politíca na Guiné-Bissau. Segue  o texto na integra. 




DIOCESE DE BAFATÁ
SECRETARIADO DIOCESANO DE PASTORAL
Comunicado final


Com o objetivo de avaliar os últimos três anos pastorais e programar os próximos, a Diocese de Bafatá reuniu-se, em Secretariado Diocesano de pastoral, de 06 a 08 deste mês de Junho. Os mais de 40 participantes – sacerdotes, consagrados e leigos - responsáveis pelas várias áreas de atividade da Diocese, ficaram profundamente agradecidos ao Senhor pelo caminho percorrido no âmbito da evangelização, da saúde, da educação e de outros aspetos da ação missionária da Igreja. Os participantes, sob a presidência de Dom Pedro Carlos Zilli, renovaram seu empenho no sentido de continuar a servir sempre mais e melhor a Igreja e o povo da Guiné-Bissau.
Nos momentos de oração, durante o encontro, os presentes não deixaram de invocar o Senhor, pedindo-lhe a graça da paz, a coragem e energia para trabalhar por ela. Uniram-se ao Papa Francisco que convidou a todos para, no dia 08, às 13h00, fazerem um “minuto de oração pela paz”.
Durante os trabalhos constataram, com tristeza, a situação de instabilidade no país: falta de confiança entre os órgãos de soberania e entre os atores políticos, jogos de interesses individuais e de grupos, compra das consciências em prol de interesses pessoais e de grupo. Estes e outros são fatores que prejudicam o processo de construção de uma sociedade guineense onde reinam a confiança mútua e o clima de paz e tolerância, condições absolutamente necessárias para a estabilidade política e administrativa.
Imbuídos pelo espírito de paz recorreram à oração como arma mais forte para a construção de uma sociedade reconciliada para a edificação da paz douradura.
Impulsionados por estes sentimentos, fizeram os seguintes apelos:
a.  aos atores políticos, responsáveis pelo bloqueio institucional, com consequências negativas na vida das populações, para que tomem consciência do seu papel na edificação da sociedade guineense mais estável e no processo de desenvolvimento integral do país;
b.  aos órgãos de soberania para que promovam o diálogo inter-institucional e inter-partidário, como melhor forma para encontrar a saída desta crise;
c.   aos atores políticos para que coloquem o interesse do país acima dos interesses particulares, de partidos ou de grupos;
d.  à sociedade civil e comunidade internacional para que continuem a envidar esforços na busca de uma solução consensual do impasse atual para que o país possa retomar o caminho do desenvolvimento;
e.  Às nossas comunidades cristãs, unidas a todos os crentes em Deus, para que redobrem seu empenho de oração em favor da justiça, da reconciliação e da paz, e que seus membros participem como cidadãos ativos na promoção da paz.
Que o testemunho do nosso querido e saudoso Dom Settímio Arturo Ferrazzetta, com o seu lema episcopal “A verdade vos libertará”, continue a inspirar, em todos nós, ações em favor do bem comum do nosso povo, especialmente dos mais carenciados.


Bafatá, 08 de Junho de 2017.





Pelo Secretariado Diocesano de Pastoral


________________________________
Padre Giuseppe Pizzoli,
Coordenador da Pastoral Diocesana




Ciente


____________________________
Dom Pedro Carlos Zilli
Bispo de Bafatá




DIOCESE DE BAFATÁ: REUNIÃO DO SECRETARIADO DE PASTORAL




Nos dias 6 a 8 de junho, terça a quinta-feira, sob a presidência de Dom Pedro Zilli e coordenação do Pe. José Pizzoli, o Secretariado Diocesano de Pastoral Alargado da Diocese, esteve reunido no Salão Paroquial da Missão Católica Nossa Senhora da Graça, em Bafatá. Os mais de 40 participantes – sacerdotes, consagrados e leigos - responsáveis pelas várias áreas de atividade da Diocese, fixaram sua atenção em 03 objetivos fundamentais: 1. avaliar globalmente o Plano de Ação Pastoral 2014 – 2017 “Igreja, família evangelizadora”, prestes a concluir; 2. Preparar o próximo Ano Pastoral - 2017-2018 que será um Ano Bíblico. Este ano quer valorizar a chegada de 15.000 Bíblias do Brasil, promover a sua divulgação e, sobretudo, sensibilizar as comunidades para um sempre maior contato com a Palavra de Deus; 3. Iniciar a preparação do Plano de Ação Pastoral 2018-2021 a ser concluído com a celebração dos 20 anos da nossa Diocese.


Nos momentos de oração, durante o encontro, os presentes não deixaram de invocar o Senhor, pedindo-lhe a graça da paz, a coragem e energia para trabalhar por ela. Uniram-se ao Papa Francisco que convidou a todos para, no dia 08, às 13h00, fazerem um “minuto de oração pela paz”.


Os participantes decidiram por um “Comunicado Final” sobre o andamento da reunião. No “Comunicado”, disseram ter constatado com “tristeza, a situação de instabilidade no país: falta de confiança entre os órgãos de soberania e entre os atores políticos, jogos de interesses individuais e de grupos, compra das consciências em prol de interesses pessoais e de grupo. Estes e outros são fatores que prejudicam o processo de construção de uma sociedade guineense onde reinam a confiança mútua e o clima de paz e tolerância, condições absolutamente necessárias para a estabilidade política e administrativa”.


GABU: SACRAMENTO DA CONFIRMAÇÃO


Na Solenidade de Pentecostes, domingo, dia 04 de junho, Dom Pedro viveu a alegria de conferir o Sacramento da Crisma a 53 membros da Paróquia Santa Isabel de Gabu.


No início da celebração, ele convidou a todos os presentes a rezarem pelos crismandos para que, com os dons do Espirito Santo, cresçam na fé, chegando, pouco a pouco, à verdadeira maturidade cristã e para que com a força do Espirito Santo sejam missionários. Pediu que rezassem pelo PIME que, no sábado celebrou a sua Festa dedicada a Nossa Senhora Rainha dos Apóstolos. Pediu que rezassem pelos Missionários Espiritanos em Gabu, desde 2004, que na Solenidade de Pentecostes celebravam sua Festa. Pediu que rezassem pelo Sínodo da Diocese de Bissau e pelo Secretariado de Pastoral Alargado da Diocese de Bafatá nos  dias 06 a 08 de junho.



Pediu que rezassem pelos catequistas guineenses que, no dia 03 de junho, celebraram o seu Padroeiro, São Carlos Lwanga. Ele que, juntamente com 21 companheiros, foram martirizados entre os anos 1885 e 1887 e canonizados pelo Papa Paulo VI em 18 de outubro de 1964, na presença dos padres do Concílio. No final da celebração, Dom Pedro realçou que o primeiro catequista na Diocese é o bispo e que o pároco é o primeiro catequista na Paróquia. Convidou os catequistas presentes para que ficassem diante do altar. Rezou com eles, Pe. Daniel e Pe. Denis uma “oração do catequista”. Dom Pedro agradeceu aos padres, às Irmãs, a Comunidade Católica Nova Aliança, aos Catequistas e toda a comunidade pelo bom caminho que a Paróquia está a fazer, sublinhando que os novos confirmados com Sacramento da Crisma são um sinal deste “bom caminho”.