segunda-feira, 11 de março de 2019

IGREJAS DO BRASIL E DA GUINÉ-BISSAU: PROSSEGUIMENTO DO PROJETO DE COOPERAÇÃO MISSIONÁRIA



Com os seminaristas
De  04 de janeiro a 12 de fevereiro, esteve na Guiné-Bissau, o Pe. Antônio Niemiec, CSsR -missionário redentorista, que está a serviço da Igreja no Brasil, sendo assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial da CNBB e secretário nacional da Pontifícia União Missionária. Ele veio para ministrar aulas de Teologia Espiritual e das Cartas Católicas e Carta aos Hebreus para os alunos de teologia, no Seminário Maior Interdiocesano Dom Settimio Arturo Ferrazzetta, em Bissau.

Sua estadia no país faz parte do “Projeto de Solidariedade entre as Igrejas do Brasil e da Guiné Bissau”. Esse projeto foi assinado no dia 22 de março de 2006, com início efetivo já em dezembro de 2004, com a presença do primeiro professor, Pe. Gervasio Queiroga do Instituto Jesus Missionário dos Pobres – IJMP.
O Projeto contempla o envio de professores brasileiros à Guiné para a formação em filosofia e teologia aos seminaristas  das Dioceses de Bissau e Bafatá, Franciscanos e Preciosíssimo Sangue. Atualmente, também as Congregações Companhia Missionária do Sagrado Coração de Jesus, Irmãs de Santa Mariana de Jesus e Franciscanas Missionarias do Coração Imaculado de Maria, tem frequentado aulas no seminário.  Até o presente momento, foram enviados 17 professores - três deles vieram duas vezes - para ajudar a Igreja da Guiné a formar seus agentes de pastoral. Dos seminaristas, alunos destes 17 professores, 29 foram ordenados sacerdotes.
Além da formação acadêmica no Seminário, os professores do Brasil assumem diversos outros serviços: celebrações no seminário e nas paróquias, encontros e cursos de formação para leigos, retiros, etc., conforme a disponibilidade de cada um e as solicitações recebidas.
Durante sua estadia, Pe. Antônio apresentou aos bispos da Guiné e à equipe responsável pelo Seminário Maior, mais algumas propostas de cooperação missionária, que podem beneficiar ainda mais a Igreja no país.
Além das aulas no seminário, Pe. Antônio deu sua colaboração em algumas actividades pastorais, como também participou de alguns eventos. Elencamos, abaixo, alguns deles:
Na catedral de Nossa Senhora da Candelária, em Bissau: concelebração da Eucaristia, com a participação de todos os seminaristas diocesanos e religiosos, por ocasião dos 20 anos de falecimento de Dom Settimio Arturo Ferrazzetta; participação na festa da Padroeira da Diocese de Bissau; Na paróquia de Santa Luzia, em Bissau: celebração da Eucaristia e encontro sobre as Cartas de São Paulo para o grupo bíblico; Na paróquia São João Batista de Brá, Bissau: celebração da Eucaristia para os jovens, no encerramento do retiro espiritual; visita ao convento, seminário e estruturas da paróquia confiada aos franciscanos;
Na paróquia Cristo Redentor, em Bissau: celebração da Eucaristia dominical; participação no encontro dos grupos da IAM – Infância e Adolescência Missionária - da paróquia e uma breve mensagem; encontro com os animadores paroquiais da IAM.


Na Rádio Sol Mansi: realização de dois programas sobre a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos e sobre os fundamentos bíblicos do Dízimo; No Seminário Maior, em Bissau: participação em duas reuniões com os 03 bispos e equipe do Seminário para apresentar, discutir e encaminhar propostas de ampliação da cooperação entre a CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil - e a Igreja da Guiné Bissau; participação no encontro de convivência e partilha dos seminaristas e leigos do Regional Sul 4, Estado de Santa Catarina e os seminaristas do Seminário Maior; celebração da Eucaristia dominical para os seminaristas e a comunidade da vizinhança; conferência sobre a Carta Apostólica Maximum Illud e o Mês Missionário Extraordinário, durante a Jornada Acadêmica do Seminário Maior; participação na celebração da Eucaristia em que 17 seminaristas  das Dioceses de Bissau e Bafatá deram passos rumo ao sacerdócio: 06 foram admitidos entre os candidatos à Ordem Sacra; 07 foram instituídos no ministério de Leitor;  04 instituídos no ministério de Acólito; encontros com os seminaristas para ajudá-los na elaboração de projetos de monografias; encontro com representantes dos seminaristas da diocese de Bafatá para tratar da Pastoral Vocacional na diocese: orientações de como organizar melhor esse serviço de acompanhamento vocacional, orientações como organizar experiências missionário-vocacionais.

Na comunidade São Paulo, em Bissau: visita à comunidade de leigas consagradas da Companhia Missionária do Sagrado Coração de Jesus para conhecer a comunidade, encontrar-se com as consagradas e conhecer as obras da comunidade.
No Liceu João XXIII, em Bissau: participação no encontro dos seminaristas diocesanos do Seminário Maior e Menor, religiosos e jovens das casas de formação e seus formadores/as com o Pe. Fabrício Meroni, PIME, diretor do Centro Internacional de Animação Missionária (CIAM) e secretário geral da Pontifícia União Missionária em Roma; participação no Jornada da Vida Consagrada que teve como tema “Viver as Bem-aventuranças na Vida Consagrada no contexto do Simpósio das Conferências Episcopais da África e Madagascar” (SCEAM); no Encontro nacional de formação sobre as Pontifícias Obras Missionárias (POM), em Bissau: participação no Encontro que contou com a presença de Pe. Fabrício Meroni, Dom Pedro Zilli, bispo de Bafatá e presidente da Comissão Interdiocesana das POM, Pe. Giuseppe Giordano, diretor nacional das POM, representantes de quase todas as paróquias e missões das duas dioceses da Guiné Bissau (padres, religiosos/as, leigos), representantes da Infância e Adolescência Missionária, num total de cerca de 135 pessoas. O Encontro, além de proporcionar momentos formativos sobre o Mês Missionário Extraordinário e documentos missionários da Igreja (especialmente a Maximum Illud), serviu também para conhecer melhor as POM, apresentar algumas figuras missionárias da Igreja na Guiné Bissau, refletir sobre o primeiro anúncio do Evangelho e partilhar experiências missionárias mais desafiadoras. Foi um tempo de muita bênção na caminhada da Igreja no país.


Em Bafatá: visita na cúria da diocese, ao hospital e à maternidade; concelebração da Eucaristia na catedral; participação da oração ecuménica e inter-religiosa, em frente da sede do governador; participação no encontro dos representantes das duas paróquias da cidade de Bafatá com Dom Pedro Zilli (“saudação anual das paróquias ao bispo”); participação no encontro dos escoteiros.

Em Quebo: encontro com os missionários brasileiros da Missão São Paulo VI e a visita às instalações da Missão; concelebração da Eucaristia; participação na confraternização com os participantes da Missa.
Em Cacheu: visita à comunidade das Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora Aparecida que, desde 1989, atende a população na área de saúde, educação e evangelização; Em Tite: visita ao Pe. Lúcio Espíndola Santos e  à Comunidade Católica Divino Oleiro da arquidiocese de Florianópolis, SC; visita a algumas comunidades rurais; participação na catequese das crianças e jovens; celebração da Eucaristia para a comunidade da Missão Católica São Pedro.


Pe. Antônio, avaliando sua presença na Guiné-Bissau, disse: “as aulas no Seminário Maior e a participação em tantas atividades, tornaram-se um tempo de muita aprendizagem, fraterna convivência e partilha de conhecimentos; um verdadeiro tempo de graça”. 


Os bispos, o seminário e todos os que encontraram-se com o Pe. Antônio, ficaram muito agradecidos pela sua simplicidade, disponibilidade, amor à Igreja e à missão a ela confiada por Cristo Jesus. Foi unânime o “muito obrigado” à Igreja do Brasil pela dedicação a Igreja da Guiné-Bissau.






sábado, 9 de março de 2019

GUINÉ-BISSAU: CONSAGRADOS E CONSAGRADAS CELEBRAM O DIA VIDA CONSAGRADA



Sob a coordenação da COVICGB – Conferência da Vida Consagrada da Guiné-Bissau, no Liceu João XXIII, em Bissau, no sábado, dia 02 de fevereiro, Festa da Apresentação do Senhor, os consagrados e consagradas da Guiné-Bissau, viveram  a alegria da celebração do dia da Vida Consagrada.

Foi recordado que, São João Paulo II, na Mensagem para a celebração do primeiro dia da Vida Consagrada, datada de 6 de Janeiro de 1997, disse: “A celebração do Dia da Vida consagrada …quer ser para as pessoas consagradas uma ocasião propícia para renovar os propósitos e reavivar os sentimentos, que devem inspirar a sua doação ao Senhor”.
Os participantes se propuseram a “viver as Bem Aventuranças na Vida Consagrada”, no  contexto do SCEAM – Simpósio das Conferências Episcopais da África e Madagascar - que, neste ano 2019, está a celebrar o seu Jubileu de Ouro.  Neste contexto, o dia foi  aberto com a apresentação do tema: "As bem-aventuranças na vida consagrada", apresentado pelo bispo auxiliar de Bissau, Dom José Lampra Cá. Entre outros aspectos, Dom Lampra sublinhou que “os consagrados, vivendo a radicalidade da consagração, são sinais daquilo que seremos. Devem, para tanto, fundamentar suas vidas nas bem-aventuranças”. Realçou que “vida consagrada caminha de mãos dadas com a virtudes teologais: fé, esperança e caridade” e que “a Igreja da África conta com a vida consagrada, não de nome, mas consequente, abastecida pela vida espiritual e moral”. Seguiu-se um bom debate de aprofundamento do tema, com Dom Lampra.


No final da Santa Missa, Dom Pedro Zilli, bispo encarregado de acompanhar a Vida Consagrada nas duas dioceses, agradeceu o novo Conselho Diretivo da COVICGB, eleito no dia 27 de dezembro de 2018: Irmã Eulália Victória Machel, Pe. Fabio Motta, Irmã Alessandra Bonfanti, Irmã Silvia Mendez Mendonza, Frei Raxido Marcelo dos Santos, Irmã Maria Claver Ndongo. Dom Pedro disse: “que o Senhor abençoe a generosidade e a disponibilidade destes 06 nossos irmãos e irmãs. Que o Senhor derrame suas bençaos sobre este Conselho e sobre todos os Consagrados e Consagradas da e na Guiné-Bissau; que ele abençoe nossas Congregações e Institutos; que Ele suscite mais vocações consagradas para a sua Igreja. Que  o nosso ‘sim’ seja como o de Maria”.

Dom Pedro e novo conselho da COVICGB
À tarde, depois dum almoço partilhado, houve um momento de alegre descontração, animado pelos nossos jovens religiosos.

Maria do Rosário e Ana Paula
Segundo o Blog “Bissau, diocese em caminho”, “no mesmo dia, à tarde, as irmãs de S. Mariana de Jesus ("marianitas") viveram um momento importante para a congregação: a primeira profissão de duas noviças, Maria do Rosário Sanhá e Ana Paula Lopes”.


GUINÉ-BISSAU: ENCONTRO NACIONAL DE FORMAÇÃO SOBRE AS PONTIFÍCIAS OBRAS MISSIONÁRIAS



A Comissão Interdiocesana das Pontifícias Obras Missionarias (POM), cujo Diretor é o Pe. Giuseppe Giordano, OMI, organizou e coordenou o Encontro Nacional de formação sobre as Pontifícias Obras Missionárias, que teve lugar nos dias 29, 30 e 31 de janeiro, terça a quinta-feira, no salão paroquial da Paróquia São João Batista de Brá, em Bissau.

Com a presença de 135 participantes – sacerdotes, consagrados e leigos – de quase todas as paróquias e missões das duas dioceses, o Encontro teve a honra que contar com o Pe. Fabrizio Meroni, PIME, Diretor do C.I.A.M. (Centro Internacional de Animação Missionária) e Secretário Geral da PONTIFÍCIA UNIÃO MISSIONÁRIA (P.U.M.) – ROMA. Ele esteve na Guiné de 24 a 31 de janeiro 2019, para participar do Encontro e de momentos eclesiais e sociais.
Para o Encontro foram convidados os Párocos, Responsáveis de Missões, uma irmã, um leigo de cada paróquia ou missão de todas as duas dioceses e responsáveis de estruturas eclesiais.
O Encontro propôs-se a ajudar os participantes  numa melhor aproximação, com o coração, das POM que pareciam distantes e misteriosas para muitas das nossas comunidades e mesmo para muitos agentes de pastoral. Além de um melhor conhecimento das POM, ele propôs-se a oferecer uma formação missionaria a todos, introduzindo-os no clima do mês missionário extraordinário que o Papa Francisco proclamou para outubro deste ano 2019, como Mês Missionário Extraordinário, com o tema “Batizados e enviados: a Igreja de Cristo em missão no mundo”. O Mês Missionário Extraordinário representará uma oportunidade única para a nossa Igreja: a celebração do centésimo aniversário da Carta Apostólica Maximum Illud do Papa Bento XV que nos ajudará a reavivar o ardor e a paixão pela missão confiada por Jesus. Para propostas de animação para o mês missionário pode consultar o website preparado pelas POM: www.october2019.va 


O Encontro foi aberto, oficialmente, por Dom Pedro Zilli, Bispo Presidente da Comissão das POM e por Dom José Lampra Cá, Bispo Auxiliar de Bissau. Eis os temas tratados: Pontifícias Obras Missionarias, Raiz carismática e ação de solidariedade universal (Pe. Giuseppe Giordano); Figuras missionarias – consagrados e leigos - da nossa Igreja na Guiné-Bissau; Outubro Missionário Extraordinário (Pe. Fabrizio Meroni); Experiências missionárias – primeiro contato com a Missão (Cacine, Quebo, Divino Oleiro, Missionárias da Caridade); De Maximum Illud a Evangelii Gaudium  (Pe. Renato Chiumento); Primeiro Anúncio do Evangelho: desafios e perspectivas na nossa Igreja na Guiné-Bissau (Pe. Paulo De Pina Araújo); Grupos IAM – Infância e Adolescência Missionária.

Nas palavras de abertura, Dom Pedro recordou que “o nosso Encontro está a realizar-se dentro das celebrações de 50 anos do SCEAM - Simpósio das Conferências Episcopais da África e Madagáscar - sob o tema: ‘Igreja-Família de Deus em África, celebra o teu Jubileu! Proclama Jesus Cristo, teu Salvador’”. Recordou que “a Diocese de Bissau, com o tema, ‘A nova evangelização ao serviço da fé e do discernimento vocacional’, para o Ano Pastoral 2018-2019, propõe-se a continuar a sua caminhada, iniciada com o Sínodo diocesano de 2015-2018, sobre a Nova evangelização, mas igualmente estar em comunhão com a Igreja universal que se reuniu,  em Roma, para XVª Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, para refletir sobre  ‘Os jovens, a fé e o discernimento vocacional’". Recordou ainda que “a Diocese de Bafatá está a viver o seu Projeto Diocesano de Pastoral para o triénio 2018-2021 - que tem como tema ‘A Igreja anuncia o Evangelho com alegria’”.
Por fim, disse: “que o Senhor derrame seu Espirito Santo sobre cada de nós aqui presente. Que ele derrame o seu Espirito Santo sobre este nosso Encontro Nacional de Formação sobre as Pontifícias Obras Missionárias”.


Importante ressaltar que o Encontro foi marcado por intensos momentos de oração e animação e pelas celebrações da Santa Eucaristia. No final da celebração da Santa Missa, presidida por Dom Pedro, Dom José Câmnate agradeceu a presença de todos, pedindo ao Senhor “que o espírito missionário das nossas comunidades ganhe nova força a partir do Encontro realizado”.

Pe Antonio e Dom Pedro

O Encontro contou com as significativas presenças do Pe. António Niemiec CSsR, Assessor da Comissão Missionária da CNBB e Secretário Nacional da Pontifícia União Missionária e do Pe. Eduardo Bittencourt da Diocese de Tubarão - Santa Catarina. 
Pe. Eduardo e Dom Pedro

sexta-feira, 8 de março de 2019

BISSAU: SEMINARISTAS DÃO PASSOS RUMO AO SACERDÓCIO




Na manhã de segunda-feira, dia 28 de janeiro, no Seminário Maior Interdiocesano Dom Settimio Arturo Ferrazzetta, 17 seminaristas das Dioceses de Bissau e Bafatá deram passos rumo ao sacerdócio: 06 foram admitidos entre os candidatos à Ordem Sacra,  dos quais 02 de Bafatá; 07 foram instituídos no ministério de Leitor, dos quais 05 de Bafatá;  04 instituídos no ministério de Acólito, dos quais 01 de Bafatá.

A celebração presidida, pelo bispo auxiliar de Bissau Dom José Lampra Cá, concelebrada por Dom Pedro Zilli, pelo Reitor do Seminário, equipa formativa, professores, seminaristas, familiares, amigos, foi vivida num ambiente de intensa alegria, por ver que o Senhor continua chamando jovens generosos para o sacerdócio.
O momento de alegria contou com a significativa presença do Pe. António Niemiec CSsR, Assessor da Comissão Missionária da CNBB e Secretário Nacional da Pontifícia União Missionária. Ele  chegou na Guiné-Bissau no dia 04 de janeiro e permaneceu no País até 12 de fevereiro, ministrando  Cartas Católicas e aos Hebreus e Teologia Espiritual no Seminário.

Na homilia, Dom Lampra exortou os seminaristas a continuarem o caminho formativo rumo ao sacerdócio de modo sempre mais intenso. Falou da beleza e da responsabilidade de uma vida “sacerdotal vivida com amor e entusiasmo”. Convidou os seminaristas a verem nos três ritos, algo fundamental que servirá para a vida.
Neste ano letivo 2018-2019, o Seminário Maior conta com 56 estudantes: Diocese de Bafatá 17; Diocese de Bissau 14; Franciscanos OFM 14; Pontifício Instituto Missões Exteriores – PIME 04; Padres do Preciosíssimo Sangue 03; Franciscanas Missionárias do Coração Imaculado de Maria 02; Companhia Missionária do Sagrado Coração de Jesus 01; Irmãs de Santa Mariana de Jesus 01.
Dom Pedro e Pe. Antonio Niemiec



sábado, 2 de março de 2019

DOM PEDRO VISITOU SÃO FRANCISCO/SANTA CLARA, CABOXANQUE E BEDANDA



Participantes da reunião
Nos dias 25 a 27 de janeiro – sexta  a domingo - Dom Pedro Zilli esteve visitando São Francisco da Floresta/Santa Clara, Caboxanque e Bedanda. Na sexta-feira à tarde, dia 25, ele participou da reunião com os trabalhadores fixos da Empresa Agrícola, com o Sr. Diego Mamasamba e os dois voluntarios italianos: Rita De Paoli e Cesare Campagnola.

Casa São Francisco 
A reunião teve inicio com a exposição dos dados relativos à colheita e à produção de caju, em 2018: 55.143 KG colhidos na arvore para 11.612 KG transformados. Na reunião, falou-se da casa de São Francisco que foi restaurada, sobretudo, no que se refere à cobertura.  Falou-se também da necessidade de outros trabalhos de manutenção da estrutura. Concordou-se em convidar alguém da área trabalhista para ajudar os trabalhadores a aprofundarem o conhecimento de seus direitos e deveres no trabalho.


Caboxanque
Na manhã de sábado, Dom Pedro seguiu para Caboxanque: la encontrou-se com  Frei Papa Paulo Nanque, Responsável Pastoral, e o Frei Benvenuto Pegoraro. No domingo de manhã, presidiu a Santa Missa do Terceiro Domingo do Tempo Comum C e, a seguir, com Frei Papa Paulo seguiu para Bedanda. Em Bedanda, Missão dedicada a “São Paulo Apostolo”, a comunidade das Irmãs Franciscanas de Cristo Rei e toda a Comunidade cristã, estavam em festa na celebração do seu padroeiro. Dom Pedro presidiu à celebração da Santa Missa, exortando a todos a terem “pelo menos um pouco do espírito missionário de São Paulo, pois isto ajudará na vivência mais intensa do Projeto Pastoral 2018-2021: ‘A Igreja anuncia o Evangelho com alegria’”.

Bedanda
À tarde, retornou diretamente para Bissau com o intuito de, na manhã de segunda-feira, dia 28,  concelebrar na Santa Missa em que 17 seminaristas das Dioceses de Bissau e Bafatá, deram passos rumo ao sacerdócio: 06 admitidos entre os candidatos ao sacerdócio; 07 fizeram o Rito do Leitorado e 04, o Rito de Acolitado. Sua ida a Bissau tinha ainda um outro objectivo: participar do Encontro Nacional de formação sobre as Pontifícias Obras Missionarias, nos dias 29 a 31 de janeiro. 

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

BAFATÁ: MISSIONÁRIOS RECÉM CHEGADOS FAZEM CURSO DE INTEGRAÇÃO MISSIONÁRIA





Sob a direção do Pe. Paulo do Pina Araújo, coordenador do Conselho Permanente de Pastoral, nos dias 21 a 24 de janeiro, segunda a quinta-feira, no Salão Dom Settimio Arturo Ferrazzetta, os missionários recém-chegados na Diocese de Bafatá, participaram da terceira edição do curso de “Integração Missionária”.  A formação que visava facilitar a entrada, de quem chega, na realidade social e eclesial do País, com especial atenção à Diocese de Bafatá, tratou os seguintes temas: Geografia da Guiné-Bissau: Regiões, Setores Administrativos, funcionamento da Administração - Governadores, Administradores etc…; A História do País, sua economia, sua  política e os seus Partidos Políticos;  Diocese de Bafatá, Paróquias e Missões, Assembleias, Secretariados,…, Sectores Pastorais e Comissões;  Projeto Diocesano de Pastoral da Diocesano: A Igreja Anuncia o Evangelho com alegria; a organização da Catequese na Diocese; Caritas Diocesana. Foram intensos os momentos de oração, especialmente a Santa Missa; foram apresentados o vídeo sobre as potencialidades turísticas da Guiné-Bissau e o filme Mártires de Uganda; houve um miniconcerto Musical com a participação de todos;


Tomaram parte no momento formativo, missionários da Comunidade Católica Nova Aliança de Gabu; sacerdote de São Daniel Comboni; sacerdote espiritano de Gabu; missionários do Regional Sul 2 da CNBB de Quebo, missionários do Divino Oleiro de Tite; missionários da Boa Nova de  Bolama.  No total participaram 11 missionários:  02 sacerdotes  e 09 leigos e membros de comunidades de vida.
O curso propunha-se apresentar aos novos missionários, alguns aspectos da geografia, história, economia, religião, política e belezas culturais e naturais da Guiné Bissau, assim como os diversos desafios no âmbito da evangelização e do desenvolvimento humano. Na apresentação da história da Igreja na África, deu-se ênfase aos inúmeros santos e teólogos filhos deste continente, assim como o contexto histórico da Igreja na Guiné Bissau, ou seja, caminho já aberto há muito tempo por valorosos missionários que deram as suas vidas pela salvação das almas e pela dignidade dos habitantes da Guiné Bissau. Ainda neste contexto, houve um especial destaque à vida e obra de Dom Settimio Arturo Ferrazzeta, missionário franciscano e primeiro bispo da Guiné Bissau.
Foram apresentadas aos novos missionários, as estruturas pastorais e administrativas da diocese, que englobam os Setores Pastorais, Projeto Diocesano de Pastoral, Comissões, Missões, Catequese, Caritas Diocesana, etc...
O encontro se desenrolou num clima de familiaridade, tendo diversos momentos de partilhas dos desafios e conquistas no campo do trabalho pastoral e da inculturação. Foram relevantes as orientações do Pe. Paulo de Pina Araújo, que exortou os missionários a serem resistentes diante as dificuldades: “vocês devem insistir nas orientações da Igreja”, afirmou ele em diversos momentos do curso.
As diversas palestras do curso foram acompanhadas pelo bispo Dom Pedro Carlos Zilli, que além de participar mais profundamente de algumas, também ministrou duas; outros padres e leigos, engajados na vida da Igreja também foram convidados a palestrar. Dom Pedro frisou a oportunidade de um “maior aprofundamento das realidades da Guiné Bissau”.
Houve também por parte de Dom Pedro diversas exortações aos missionários: “não se vai as missões se está nas missões”, e também: “devemos fazer poesia a partir da realidade”, e que  “não trabalhamos na missão, vivemos a missão”. Frisou ainda a importância de os missionários estarem próximos das pessoas, e “não se deixarem absorver totalmente pelos diversos trabalhos e funções existentes nas missões”.

A conclusão do curso foi marcada por uma ótima avaliação dos missionários participantes e com a fixação da data para realização de exercícios espirituais para os mesmos missionários, visto não haver algo especifico para eles, até o presente momento, na Guiné-Bissau. Enfim, encerrou-se com o almoço e com o regresso dos missionários para as suas missões revestidos de um novo entusiasmo apostólico.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

GABU: APRESENTAÇAO OLIVER IZUCHUKWU IHEDIMBU



 No dia 20 de janeiro, Segundo Domingo do Tempo Comum C, Dom Pedro Zilli esteve na Paróquia Santa Isabel de Gabu para a apresentação do Pe. Oliver Izuchukwu Ihedimbu, da Congregação dos Espiritanos,  que assumiu a função de Vigário Paroquial. 

A missa foi concelebrada pelo Pároco, Pe. Odilon Judicäel Leno, que assumiu a Paróquia no dia 14 de outubro do ano passado, 2018. Ele sucedeu ao Pe. Daniel Thiara Boubane,  pároco desde 24 de agosto de 2014, com despedida da comunidade na Solenidade de Cristo Rei, no dia 25  de novembro do ano passado.  A missa foi igualmente celebrada pelo Pe. Oliver.
Nas suas palavras de “bem-vindo” a Pe. Oliver, Dom Pedro exortou a comunidade paroquial a fazer “bom uso” da presença dos novos sacerdotes, das Clarissas Franciscanas Missionárias do Santíssimo Sacramento e da Comunidade Católica Nova Aliança. Que a comunidade renove o seu “espírito missionário na pastoral familiar, na catequese, na juventude, no dízimo, Escutas, CVAV”. Recordou que o “dízimo caiu muito, não somente em Gabu, mas também em Gabu”. Falou da importância da “animação e da transparência na pastoral do dízimo”.
Disse que a Diocese dará um contributo económico para a “sobrevivência dos sacerdotes, mas que também eles deverão empenhar-se na procura de mais recursos para uma vida condigna”. Pediu que a comunidade apoie também economicamente os seus sacerdote.
Dom Pedro conclui agradecendo aos Espiritanos por sua presença continuada em Gabú, desde 2004. Pe. Oliver falou da sua alegria em vir para Gabu e sua disponibilidade em dar o seu contributo “para o crescimento da comunidade e para um bom relacionamento com todos”.


No Decreto de nomeação, datado do mesmo dia 20 de janeiro, Dom Pedro Zilli escreveu: “
…Que o Senhor abençoe o Pe. Oliver no seu serviço à Igreja de Cristo Jesus, na Diocese de Bafatá, concretamente em Gabu. Que ele testemunhe o amor de Jesus Cristo a todas as pessoas, especialmente às que ainda não O conhecem. Que ele testemunhe, especialmente aos jovens, a beleza da fé cristã vivida na alegria do sacerdócio, num ambiente bastante muçulmanizado. Obrigado pela sua generosidade”