sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

BUBA: ORAÇÃO ECUMENICA E INTER-RELIGIOSA PELA PAZ



Teve lugar na terça-feira, dia 02 de janeiro, no Centro de Ensino e Formação Agrícola (CEFA) “Santo Isidoro Lavrador”, cidade de Buba, a oração ecuménica e inter-religiosa pela paz. Juntamente com os católicos, evangélicos e muçulmanos, marcaram presenças o  Governador da Região de Quinara, Sr. Mamadu Sanha, o  Comandante da Zona Militar Sul, Sr. António Pereira, o Comandante de Polícia da Zona Sul, Sr. Costa Biague e Representantes da Sociedade Civil.  Os participantes rezaram pela paz, pelo reforço dos laços de  irmandade e comunhão entre as diferentes confissões religiosas, pedindo ao Senhor para que a religião não seja usada “como arma política para obter adeptos ou para ascender ao poder”. Na sua intervenção, o Sr. Governador disse que “é necessário que se viva o amor para se poder obter a paz” A oração começou às 10:00h e terminou as 12:30h. Todos manifestaram o “propósito de voltar a encontrarem-se no próximo ano e nos eventos desse caracter”. 


VISITA A CABOXANQUE, BEDANDA E SÃO FRANCISCO DA FLORESTA/SANTA CLARA

   Jeribá, Chete, Mariagrazia, Fr. Benvenuto, Dom Pedro, Sergio, 
Fr. Máximo, Fr. Arlindo e Fr. Orlando em Cabuxanque
Nos dias 29 de dezembro a 02 de janeiro, sexta a terça-feira, em companhia da Sra. Mariagrazia Salmaso, antiga presidente da Associação “Insieme per l’Africa” e atual Diretora do Centro Missionário da Diocese de Vittorio Veneto, da Adriana Nishiyama e do motorista Jelibá, Dom Pedro visitou as missões de Caboxanque, Bedanda e São Francisco da Floresta/Santa Clara. Em Caboxanque, os visitantes encontraram-se com os Freis Máximo Capina, Benvenuto Pegoraro, Arlindo Có, Orlando Djamghulem Djedjo, Chete Mutna Nhabe, o voluntario Sr. Sergio Stelo e a comunidade cristã. Na manhã de sábado, apos presidir à celebração da Santa Missa Dom Pedro, em companhia do Frei Máximo e Adriana, visitou o régulo de Caboxanque, Sr. Maudo. Falaram sobre o pedido da população no sentido de a Missão Católica liderar a construção de um Liceu em Caboxanque.

Missa em Cabuxanque
Na tarde de sábado, com Mariagrazia, Adriana e Jelibá, Dom Pedro foi para Bedanda. No domingo, às 10 horas celebrou a Missa da Solenidade da Sagrada Família. Na homilia, entre outros aspectos, citou a alocução do Papa Paulo VI, pronunciada em Nazaré no dia 5 de janeiro de 1964, quando ele diz: “não partiremos, porém, antes de colher às pressas e quase furtivamente algumas breves lições de Nazaré”. São três as lições: “Uma lição de silêncio; Uma lição de vida familiar; Uma lição de trabalho”.
Missa em Bedanda
A missa foi celebrada num ambiente de profunda alegria, com a oferta de tudo o que foi vivido no ano, inclusive uma criança para “demonstrar que são sempre mais os homens e as mulheres que se amam e criam o futuro gerando novas vidas” (Antonio Gaspari). Foram vividos lindos momentos com as irmãs Maria Pia Garbui, Judite Caetano Mancebo, a noviça Djossinca J. Gomes Lopes e com a comunidade que, desejaram ao Bispo e aos visitantes, “Feliz Ano Novo, rico de bênçãos do Senhor”. À tarde, voltaram para Caboxanque e participaram da missa de ação de graças pelo ano de 2017, celebrada pelo Frei Máximo Capina. 


No dia 01 de janeiro, Dom Pedro celebrou a Missa de Santa Maria, Mãe de Deus e 51º Dia Mundial da Paz que o Papa Francisco dedicou ao tema dos "Migrantes e refugiados: homens e mulheres em busca de paz". Depois disso, seguiram para São Francisco e Santa Clara, para um momento de lazer. Na manhã do dia 02, apos celebrar a missa pela alma do Frei Silvano de Cao – OFM – falecido na Italia na madrugada do dia 01 de janeiro, retornaram para Bafatá, tendo almoçado em Quebo.

Santa Clara 
Conforme os Blogs “Diocese em Caminho” e “Frarenato”, Frei Silvano “transcorreu 50 anos na Guiné-Bissau, onde tinha chegado em 1967 juntamente com os Freis Jorge Dalla Barba e Ernesto Bicego. Exerceu vários serviços, entre outros foi enfermeiro, carpinteiro e chefe de obra. Passou longos anos em Quinhamel e Cumura. Nos últimos dois anos esteve em Nhoma, onde era ecónomo da fraternidade e chefe de obra. Fr. Silvano era conhecido pela sua generosidade, simpatia, trato afável e gentil. Tinha 75 anos de idade e estava na Itália desde o mês de abril 2017 para tratamento médico”.

Fr. Silvano

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

BAFATÁ: A ALEGRIA DA CELEBRAÇÃO DO NATAL E NOVOS IRMÃOS NA FÉ

Catedral de Bafará noite de  Natal
Na noite de Natal, dia 24 de dezembro, Dom Pedro presidiu a Santa Missa da Vigília de Natal na Sé Catedral de Bafatá. Era bonito ver as crianças, os jovens e adultos vestidos com trajes de festa, o grupo coral cantando com alegria, os jovens encenando o anúncio da Anjo Gabriel a Maria, o nascimento de Jesus, os Pastores, os Reis Magos. Dom Pedro comentou que “dá para ver que, pouco a pouco, o Evangelho de Jesus vai entrando no coração das pessoas e vai purificando a cultura”. 

encenação do Nascimento de Jesus
Na homilia, ele citou o Evangelho, quando o Anjo disse aos Pastores: "Não temais: eis aqui vos trago boa nova de grande alegria, que o será para todo o povo: é que hoje vos nasceu, na cidade de de Davi, o Salvador, que é Cristo, o Senhor”(Lc. 2,10-11). 

Com seminaristas da Paroquia Nossa Senhora da Graça Bafatá
Recordou as palavras do Pe. Piero Gheddo, um grande missionário do PIME, que escreveu em torno de 100 livros, artigos, etc, sobre missionários do  PIME e sobre as missoes, que trouxe a missao para dentro de nossas casas, falecido no dia 20 de dezembro. Ele dizia: “muitas  vezes, pergunto-me se o anúncio que eu faço com a minha vida e com minha palavra, é sempre uma mensagem da alegria que os pastores anunciaram na Noite Santa de Natal”.  
Dom Pedro falou da “alegria de Maria que aceitou o Misterio de Deus na sua  vida”. Sublinhou que “a nossa alegria deve ter seu fundamento no acolhimento do Misterio de Deus na nossa vida”. Falou da “alegria de José em cuidar do Filho de Deus”.

Batismo
No dia de Natal, de manhã, na Sé Catedral de Bafatá, 42 crianças receberam o Sacramento do Batismo. Em outras comunidades da Guiné-Bissau tambem houve Batismos no Natal. Os pais e toda a comunidade ficaram muito felizes, pois compreendem que o Santo Batismo é o fundamento de toda a vida cristã, a porta da vida no Espírito, que abre o acesso aos demais sacramentos. Compreendem que por meio dele, somos libertados do pecado e regenerados como filhos de Deus, tornamo-nos membros de Cristo, incorporados à Igreja e feitos participantes de sua missão: “Baptismus est sacramentum regenerationis per aquam in verbo (o batismo é o sacramento da regeneração pela água na Palavra)”.


Na mesma manha de Natal, Dom Pedro celebrou a Missa numa comunidade do interior chamada de “Sonaco”. No início da celebração, sublinhando as palavras de Jesus, em Mateus 18:20: “Porque onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou no meio deles”, Dom Pedro disse: “somos bem mais de dois ou três reunidos. Então o Emanuel, Deus conosco está no nosso meio”.

Sonaco
Tanto em Bafatá, como em Sonaco, Dom Pedro desejou Feliz Natal a todos na Diocese, na Guiné-Bissau, na Africa e no mundo. 

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

MISSIONÁRIAS FILIPA E MARTA DESPEDEM-SE DA GUINÉ




De 26 de Setembro a 19 de Dezembro, a Guiné-Bissau recebeu na cidade de Buba, duas jovens missionárias portuguesas, Filipa Faustino e Marta Gonçalves.
Foi com muita alegria que aceitaram o desafio lançado pelo Pe. Dingana Siga numa das suas visitas a Lisboa para fazerem mais uma experiência missionária, desta vez, no seu país. O espírito com que aceitaram a missão foi de disponibilidade para servir e responder aos desafios que lhes foram colocados.

As jovens missionárias desenvolveram as suas atividades, sobretudo, na Paróquia de Santa Cruz de Buba, onde colaboraram na realização de ações de formação na ótica da capacitação dos jovens, nas catequeses e ainda no acompanhamento de uma escola comunitária. No âmbito da formação dos mais jovens, Filipa e Marta, estiveram também no Seminário-menor em Bissau a dar apoio nas disciplinas de matemática, português e inglês e ajudaram na realização de formação de líderes dos diversos movimentos e grupos dos setores pastorais Leste e Sul da Diocese de Bafatá.

Durante a sua estadia na Guiné-Bissau visitaram diversas regiões do país e participaram em vários momentos “da vida da Diocese” e foi com muito gosto que aceitaram o convite de Dom Pedro Zilli, a uma visita à comunidade de Bolama. Participaram ainda, em Catió, na Ordenação Diaconal de Luca Vinati e na Peregrinação Nacional ao Santuário de Cacheu.
As duas jovens realçaram a grande alegria que sentiram durante a missão e deixam um especial agradecimento à comunidade de Padres e Irmãs de Buba por as terem acolhido de forma a que sentissem em casa.


Dom Pedro agradeceu as duas pela alegria, disponibilidade para ajudar as pessoas e amor a missão. Agradeceu a Paróquia Santa Cruz de Buba por tê-las acolhido durante os três meses na Diocese de Bafatá.




CATIÓ: LUCA VINATI É ORDENADO DIÁCONO




No sábado, dia 16 de dezembro, a comunidade paroquial de Catió, o PIME, a Igreja da Guiné-Bissau e a família viveram um momento de profunda alegria: a ordenação diaconal do Luca Vinati PIME.

Na homilia, Dom Pedro sublinhou que no ano do Centenário das Aparições de Fátima, 70 anos da chegada do PIME na Guiné-Bissau, 40 anos da Diocese de Bissau, Luca deu a todos, um grande presente. Este presente foi especial para Catió que, apos ter visto um Rito do Acolitado e dois Votos perpétuos, pela primeira vez, viu alguém ser ordenado diácono na sua paróquia Nossa Senhora de Fátima; alegria para o PIME e para a Igreja que ganharam mais um missionário. A seguir, Dom Pedro disse: “alegria pela graça de ordenar diácono, um meu coirmão no PIME”.


A partir das leituras escolhidas pelo Luca, Dom Pedro o convidou a ser como Jeremias, profeta que “vê o mundo com os olhos de Deus”. Referindo-se ao Evangelho, recordou ao Luca a vocação de se tornar “Bom Samaritano da humanidade”, a exemplo de Jesus Cristo, “fazendo-se próximo dos Irmãos de todo o mundo, reconhecendo em todas as pessoas, sobretudo nas mais pobres e sofridas, o vulto de Jesus”.
Muito lindo o testemunho que o Luca compartilhou com os presentes no final da celebração: “durante o período transcorrido na Guiné, eu vi como é fundamental e atual o anuncio direto da Palavra de Deus. Nas visitas e catequeses semanais nas aldeias, eu fiz a experiência e toquei com a mão que existe o desejo e vontade de conhecer Deus, através da escuta da sua palavra. Por isto, é importante aproximar-se das pessoas, sentar ao lado delas com paciência e confiança, falar a sua própria linguagem para anunciar-lhes a Boa Nova de Jesus Cristo”.



Durante a prostração, enquanto se cantava a Ladainha, Luca foi coberto com panos tradicionais, expressão guineense do morrer a si mesmo para nascer para a comunidade. Depois, ofereceram-lhe uma cabra como gesto de gratidão da aldeia onde faz catequese. Num ambiente de alegria, Dom Pedro anunciou a ordenação diaconal do seminarista Luis Paulo Monteiro da Costa prevista para o sábado, dia 27 de janeiro. Pe. Fabio Motta, superior regional do PIME, agradeceu os padres Giovanni Phe Thu, Maurizio Fioravanti, as irmãs Beneditinas da Divina Providência, a comunidade paroquial e o próprio Luca pela boa preparação da celebração e das festividades.




DOM PEDRO ZILLI E PE. JOSE PIZZOLI VISITARAM SÃO FRANCISCO E SANTA CLARA




Nos dias 14 de 15 de dezembro, quinta e sexta-feira, Dom Pedro Zilli e Pe. Giuseppe Pizzoli visitaram o Centro Agrícola São Francisco da Floresta, Sul do País e da Diocese de Bafatá. A visita tinha como objetivos: ver como andam os trabalhos de transformação da castanha de caju; saudar os trabalhadores, ouvi-los e aprofundar alguns aspectos com eles; falar-lhes do caminho da Igreja da Guiné-Bissau e, em especial da Diocese de Bafatá; desejar-lhes Feliz Natal e Prospero 2018 e preparar a chegada dos amigos das Itália no próximo mês janeiro.

Na tarde da quinta-feira, depois de visitar a fábrica, tiveram um encontro com os trabalhadores. Dom Pedro tomou a palavra para saudar o Sr. Diego Mamasamba, Lucindo em visita a São Francisco e Santa Clara, e todo o grupo.
Diego, falando das atividades do Centro, disse que a nova organização dos trabalhos, com responsabilidades bem determinadas, está a permitir o controlo na colheita, armazenagem, transformação, embalagem, etc. do produto; falou da importância do novo forno que está a fazer com que a produção se intensifique.

Em nome dos trabalhadores, o Sr. Aliu Quebé, após ter sublinhado a alegria pela visita, apresentou algumas preocupações por parte do grupo; Concordou-se que, na visita de janeiro, poder-se-á aprofundar, mais detalhadamente o que, de fato, a Previdência Social oferece. Falou-se também de um possível encontro com um advogado, em Bafatá, sobre direitos e deveres dos trabalhadores. Tal encontro com trabalhadores da cúria e de missões da diocese, incluiria também os de São Francisco.
Ficou concordado que a visita dos amigos italianos, em São Francisco e Santa Clara, prevista para os dias 20 a 27 de janeiro, será uma propícia ocasião para a celebração do aniversário de 20 anos da morte do Leigo Missionário Vitorio Bicego, fundador e organizar do Centro, ocorrida no  23 de janeiro de 1998. No dia 24 será celebrada a missa pela sua alma. Será celebrada também por Dom Settimio Arturo Ferrazzetta, grande impulsionador do Centro, falecido no dia 27 de janeiro de 1999. 


Dom Pedro e Pe. José falaram dos 40 anos da Diocese de Bissau; do Ano Bíblico na Diocese de Bafatá. Desejaram a todos Feliz Natal e Prospero Ano Novo de 2018. Momentos fortes foram as celebrações de duas missas no refeitório de Santa Clara.

Ficaram contentes em saber que o jovem Denis Sumba na Mbana, originário de Caboxanque e que residia em Bafatá, está em São Francisco e Santa Clara para as aulas de 2ª e 3ª classes de manhã e à tarde: de manhã, 61 alunos da 2ª classe e à tarde, 24 alunos da 3ª. Já iniciou a catequese com os meninos. Dom Pedro pediu a ele que “seja um missionário naquele ambiente tão carenciado”.

INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA MISSIONÁRIA (IAM): VISITA DA LUCIDALVA


Para animar Infância e Adolescência Missionária das Dioceses de Bissau e Bafatá, de 10 de novembro a 13 de dezembro, a Igreja da Guiné-Bissau teve a alegria de acolher a Sra. Lucidalva Maria Martinoti, coordenadora da Infância e Adolescência Missionária da Arquidiocese de Londrina, Paraná, Brasil.

Com o constante apoio do Pe. Giuseppe Giordano, dos Oblatos de Maria Imaculada – OMI – e Diretor Nacional da Comissão interdiocesana Pontifícias Obras Missionárias (POM), a Lucidalva teve encontros com Párocos, Consagrados (as), seminaristas maiores e menores, raparigas das casas de formação, responsáveis paroquiais da Infância e Adolescência Missionária, responsáveis dos jovens e adolescentes, catequistas, catequizandos, Escutas, CVAV- Coração Valente, Alma Valente -, Schoenstatt, etc. Ela visitou as paróquias onde a Infância e Adolescência Missionaria já está implantada; visitou igualmente aquelas abertas a este dom de Deus para o crescimento do espírito missionário desde a mais tenra idade. No período em que esteve na Guiné-Bissau, alem das atividades na IAM, ela encontrou os missionários, visitou várias comunidades, fez costura, participou da celebração dos 40 anos da Diocese de Bissau e da Peregrinação Mariana de Cacheu.

No dia 11 de dezembro, sob a presidência de Dom Pedro Zilli, a Comissão interdiocesana Pontifícias Obras Missionárias (POM), nas pessoas do Diretor Nacional, Pe. Giordano, dos Diretores diocesanos de Bissau e de Bafatá: Pe. Franco Beati e Pe. Maio da Silva, da Irmã Maria de Lurdes e do casal Leandro e Pérola, foi feita uma espécie de avaliação do mês transcorrido com a Lucidalva e apontadas algumas perspectivas. Foi dito que a presença da Lucidalva foi muito importante para os animadores da IAM, ajudando-os no conteúdo e na metodologia para incentivar as crianças e adolescentes a crescerem no espirito missionário e no significado profundo da IAM; foi dito que sua presença entre nós, fez com que o ânimo dos que já estão na IAM fosse renovado e os que ainda não estão, sentissem o desejo de iniciar algo nas suas paróquias e missões. A Lucidalva sugeriu que as Irmãs que entendem o que é IAM e que já fizeram alguma experiência neste tipo de espiritualidade, poderiam dar uma mão no sentido de animar as crianças e adolescentes nesta caminhada missionária. Agradecendo pela oportunidade de estar na Guiné-Bissau, disse também que “aprendeu muito com a Igreja da Guiné-Bissau e que não deveria ser muito difícil intensificar a implantação da IAM, pois há muito gente boa e interessada”. Importante para ela, “é ajeitar a metodologia, usando do bom material e das boas sugestões que já existem”.


No final da reunião, Dom Pedro ofereceu um presente à Lucidalva, agradecendo-a pela simplicidade, pelo amor demonstrado às crianças e adolescentes e à causa missionaria; agradeceu o Pe. Giordano pelo entusiasmo em apoiar a Lucidalva durante todo o mês; agradeceu a Comissão POM e as missões que a acolheram; Agradeceu a Paróquia Nossa Senhora da Glória e a Arquidiocese de Londrina pelo seu envio a Guiné; agradeceu o Pe. Stefano Ferrari, PIME, ao casal Leandro e Pérola e todos os que colaboraram pelo bom êxito da visita. Sublinhou a importância da presença da Lucidalva conosco, ajudando-nos a crescer na convicção de que o Senhor chama todos os povos ao encontro com seu Filho, Jesus Cristo, “único Salvador do mundo”(Porta Fidei,6).