sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

BUBA: ORAÇÃO ECUMENICA E INTER-RELIGIOSA PELA PAZ



Teve lugar na terça-feira, dia 02 de janeiro, no Centro de Ensino e Formação Agrícola (CEFA) “Santo Isidoro Lavrador”, cidade de Buba, a oração ecuménica e inter-religiosa pela paz. Juntamente com os católicos, evangélicos e muçulmanos, marcaram presenças o  Governador da Região de Quinara, Sr. Mamadu Sanha, o  Comandante da Zona Militar Sul, Sr. António Pereira, o Comandante de Polícia da Zona Sul, Sr. Costa Biague e Representantes da Sociedade Civil.  Os participantes rezaram pela paz, pelo reforço dos laços de  irmandade e comunhão entre as diferentes confissões religiosas, pedindo ao Senhor para que a religião não seja usada “como arma política para obter adeptos ou para ascender ao poder”. Na sua intervenção, o Sr. Governador disse que “é necessário que se viva o amor para se poder obter a paz” A oração começou às 10:00h e terminou as 12:30h. Todos manifestaram o “propósito de voltar a encontrarem-se no próximo ano e nos eventos desse caracter”. 


VISITA A CABOXANQUE, BEDANDA E SÃO FRANCISCO DA FLORESTA/SANTA CLARA

   Jeribá, Chete, Mariagrazia, Fr. Benvenuto, Dom Pedro, Sergio, 
Fr. Máximo, Fr. Arlindo e Fr. Orlando em Cabuxanque
Nos dias 29 de dezembro a 02 de janeiro, sexta a terça-feira, em companhia da Sra. Mariagrazia Salmaso, antiga presidente da Associação “Insieme per l’Africa” e atual Diretora do Centro Missionário da Diocese de Vittorio Veneto, da Adriana Nishiyama e do motorista Jelibá, Dom Pedro visitou as missões de Caboxanque, Bedanda e São Francisco da Floresta/Santa Clara. Em Caboxanque, os visitantes encontraram-se com os Freis Máximo Capina, Benvenuto Pegoraro, Arlindo Có, Orlando Djamghulem Djedjo, Chete Mutna Nhabe, o voluntario Sr. Sergio Stelo e a comunidade cristã. Na manhã de sábado, apos presidir à celebração da Santa Missa Dom Pedro, em companhia do Frei Máximo e Adriana, visitou o régulo de Caboxanque, Sr. Maudo. Falaram sobre o pedido da população no sentido de a Missão Católica liderar a construção de um Liceu em Caboxanque.

Missa em Cabuxanque
Na tarde de sábado, com Mariagrazia, Adriana e Jelibá, Dom Pedro foi para Bedanda. No domingo, às 10 horas celebrou a Missa da Solenidade da Sagrada Família. Na homilia, entre outros aspectos, citou a alocução do Papa Paulo VI, pronunciada em Nazaré no dia 5 de janeiro de 1964, quando ele diz: “não partiremos, porém, antes de colher às pressas e quase furtivamente algumas breves lições de Nazaré”. São três as lições: “Uma lição de silêncio; Uma lição de vida familiar; Uma lição de trabalho”.
Missa em Bedanda
A missa foi celebrada num ambiente de profunda alegria, com a oferta de tudo o que foi vivido no ano, inclusive uma criança para “demonstrar que são sempre mais os homens e as mulheres que se amam e criam o futuro gerando novas vidas” (Antonio Gaspari). Foram vividos lindos momentos com as irmãs Maria Pia Garbui, Judite Caetano Mancebo, a noviça Djossinca J. Gomes Lopes e com a comunidade que, desejaram ao Bispo e aos visitantes, “Feliz Ano Novo, rico de bênçãos do Senhor”. À tarde, voltaram para Caboxanque e participaram da missa de ação de graças pelo ano de 2017, celebrada pelo Frei Máximo Capina. 


No dia 01 de janeiro, Dom Pedro celebrou a Missa de Santa Maria, Mãe de Deus e 51º Dia Mundial da Paz que o Papa Francisco dedicou ao tema dos "Migrantes e refugiados: homens e mulheres em busca de paz". Depois disso, seguiram para São Francisco e Santa Clara, para um momento de lazer. Na manhã do dia 02, apos celebrar a missa pela alma do Frei Silvano de Cao – OFM – falecido na Italia na madrugada do dia 01 de janeiro, retornaram para Bafatá, tendo almoçado em Quebo.

Santa Clara 
Conforme os Blogs “Diocese em Caminho” e “Frarenato”, Frei Silvano “transcorreu 50 anos na Guiné-Bissau, onde tinha chegado em 1967 juntamente com os Freis Jorge Dalla Barba e Ernesto Bicego. Exerceu vários serviços, entre outros foi enfermeiro, carpinteiro e chefe de obra. Passou longos anos em Quinhamel e Cumura. Nos últimos dois anos esteve em Nhoma, onde era ecónomo da fraternidade e chefe de obra. Fr. Silvano era conhecido pela sua generosidade, simpatia, trato afável e gentil. Tinha 75 anos de idade e estava na Itália desde o mês de abril 2017 para tratamento médico”.

Fr. Silvano